Compartilhe por email

Viciados em ginástica: cuidado com excesso de treino

Viciados em ginástica: cuidado com excesso de treino

Você se sente culpado porque perdeu um dia de malhação? Você fica horas na academia sem tirar um dia de folga? O excesso pode causar problemas

Você se sente culpado porque perdeu um dia de malhação? Você despende horas na academia todo dia sem tirar um dia de folga? Mesmo sendo bom para você, o excesso pode causar problemas físicos e mentais.

Nós todos sabemos dos benefícios da atividade física. Ela fortalece o coração, reduz a gordura corporal e diminui os riscos de várias doenças.

Alguns estudos sugerem que exercícios melhoram a função cognitiva. Se você malha por horas ao dia, quase todo dia - Você talvez não esteja tão saudável quanto pensa e talvez esteja viciado em malhar (exercícios).

Pessoas com vícios em ginástica têm um comportamento compulsivo por malhar. É um dependente da malhação quem faz exercícios com duração, intensidade e freqüência além daquela requerida para o esporte.

Elas não dão tempo suficiente para a recuperação, malham mesmo quando doentes ou lesionadas e ficam tremendamente irritadas quando perdem um dia de treino.

E se você pensa que isto não acontece, veja isto: os hormônios liberados pela glândula pituitária, durante os exercícios intensos, são quimicamente similares ao viciado na droga morfina, e pessoas podem ficar dependente com a alta liberação de alguns componentes químicos, tais como a serotonina que é liberada durante o exercício.

Você também pode apresentar problemas físicos quando em over-training, apresentando freqüência cardíaca alta durante repouso, sistema imunológico alterado, falta de sono, queda do desempenho e alta propensão a lesões dado ao uso repetitivo de partes do corpo em relação a exercícios específicos.

E mulheres que passam destes limites apresentam alterações hormonais que podem alterar a ovulação e perder o ciclo menstrual, causando uma perda óssea permanente.

Como se acaba virando um viciado em malhação? Isto começa inocentemente, simplesmente com o intuito de se perder peso e melhorar a autoestima.

Mas, para algumas pessoas isto se torna um abuso e há uma crescente vontade de malhar cada vez mais.

Algumas pesquisas sugerem que estas pessoas possuem uma pré-disposição genética para o comportamento compulsivo, tipo drogas e jogos de azar. Para alguns a ginástica é usada para preencher uma lacuna vazia na sua vida, como satisfação.

Em outras pessoas é para cobrir uma depressão e outros eventos em sua vida. Mas este comportamento pode ser definido, pelo montante de horas que você despende com a malhação e não o número de exercícios realizados.

É aquela sensação de que eu tenho que fazer isto, e a ansiedade aumenta se você não o fizer. Esta é a diferença entre malhar 45 minutos e malhar por 4 ou 5 horas a fio na academia.

Quando a pessoa começa a despender um total de 7 a 8 horas na academia, ela está arriscando se a um over-training, o que pode ser contra-produtivo e causar mais danos do que fazer bem.

Mas como tudo na vida, este tipo de problema pode ser tratado com sucesso. Começa com a diminuição gradativa da freqüência, duração e intensidade dos exercícios. Uma terapia para o tratamento cognitivo comportamental, talvez seja necessária e uma visita ao psicólogo do esporte também é aconselhável, pois é importante manter o equilíbrio físico e mental.

Boa malhação.