Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Brasileiro faz 63 km na Wings for Life do RJ

Foto: Redbull

Neste domingo (6), a Wings for Life World Run mobilizou 66 países e 100 mil pessoas a correrem por uma causa: a de arrecadar fundos para estudos para a cura em lesões da medula espinhal. Ao todo, foram 3 milhões de euros angariados para esta finalidade. Por aqui no Brasil, a prova aconteceu pela primeira vez no Rio de Janeiro, com largada na região do Recreio.

De camiseta estampada com a mensagem “Correndo por aqueles que ainda não podem”, os 4 mil participantes — entre eles o paratleta Fernando Fernandes, o triatleta Igor Amorelli e a ex-ginasta Laís Souza — encararam o clima quente e abafado da cidade carioca, e foram eliminados conforme o carro oficial da prova (catcher car) os ultrapassava. Com o surfista brasileiro Pedro Scooby no volante, cada vez que o carro passava por alguém, um alto-falante agradecia as pessoas pela participação no evento.

Cadeirantes, mães com carrinhos de bebê, jovens e idosos, profissionais da corrida ou não, encerraram felizes suas quilometragens e voltaram para a largada de ônibus oferecido pela organização do evento. Na chegada, receberam medalha, kit pós-prova com hidratação e alguns alimentos. Um telão instalado na arena transmitiu ao vivo as provas da Wings for Life pelo mundo. 

 

Brasileiro se destacou com 63 km 

José Eraldo Lima foi o último a ser recolhido pelo catcher car da Wings for Life, com 63,15 km. O paranaense nunca havia feito uma distância tão longa como esta na vida. ” Vencer aqui no Rio foi maravilhoso. Cada quilômetro e cada passo foram especiais. Eu nunca tinha corrido mais do que 42 km, mas resolvi me preparar para os 60 km, e consegui”, disse o atleta. A eslovena Miha Dobravec, campeã em sua terra natal no ano passado, levou o troféu entre as mulheres que correram no Brasil, alcançando 48.10 km percorridos na paisagem carioca em pouco menos de quatro horas. Ana Paula Martins ficou em segundo lugar pela segunda vez consecutiva, com 39,72 km de trajeto. 

Letícia Saltori, atleta brasileira que ganhou a edição global em 2016 e 2017, fez bonito na Wings for Life da Suíça: correu 49 km. “O percurso tinha muita subida, teve uma mistura de vários cenários. Já sabia que não seria fácil, mas o sentimento é de gratidão”, contou Letícia em seu perfil pessoal no Instagram.

 

Vencedores globais da Wings for Life

O atleta cadeirante Aron Anderson ganhou pela segunda vez consecutiva com 89,85 km nos Estados Unidos. No ano passado, o sueco correu 92 km. O pódio feminino mundial foi da portuguesa Vera Nunes na Alemanha, com 53,78 km na “conta”. 

A próxima edição no Brasil já tem data — 9 de maio de 2019, sem local definido. Fique de olho no Ativo.com para saber as próximas novidades!

 

Fotos da edição de 2018

Crédito: Redbull

 

Leia mais

Os principais mitos da corrida de rua

“Pace”, “coelho” e “fartlek”: o dicionário do corredor

Glúteo médio: sua importância e como trabalhá-lo corretamente

Clube O2

Clube O2 + Tênis Saucony!

excluir cat: nao, desativa sempre post: nao, ativa sempre post: nao
Compartilhe por email!