Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Maratona de Tóquio: uma experiência do outro lado do mundo

Torres, palácios, pontes e diversos pontos turísticos ao longo do trajeto tornam a Maratona de Tóquio um atrativo para o corredor de qualquer parte do mundo interessado na curiosa e rica cultura nipônica. Primeira prova do ano entre o seleto grupo das maiores maratonas do mundo, que inclui ainda as provas de Chicago, Londres, Boston, Nova York e Berlim, a disputa acontece sempre no mês de fevereiro, quando os termômetros na região indicam temperaturas bastante baixas, na casa dos 5°C pela manhã.

Ainda jovem se comparada com outras grandes maratonas (foi criada em 2007 e entrou para a lista das Majors apenas em 2013), a Maratona de Tóquio compensa o menor reconhecimento internacional com uma organização impecável e um percurso bastante plano e recheado de atrações, como o Palácio Imperial e a gigantesca Torre de Tóquio. Com isso, já figura na lista de provas de 42 km com maior número de concluintes, com uma média de 35 mil pessoas por ano.

Apesar de o percurso ser considerado ideal para quem busca uma prova veloz — seu recorde é do queniano Wilson Kipsang, que neste ano correu a prova em 2h03min58s, uma das melhores marcas da história —, fatores externos, como clima frio, comida atípica e jet lag podem atrapalhar o desempenho de corredores brasileiros. Por isso, a dica para quem deseja encarar a prova, que em 2018 será no dia 25 de fevereiro, é chegar à capital do Japão com antecedência para se aclimatar. Depois da prova, porém, apaixonados por sushis e outras delícias da culinária japonesa podem fazer a festa!

Maratona de Tóquio

Kátia Pérez, começou a correr aos 14 anos e participar de provas de corrida aos 35. Ela correu a Maratona de Tóquio em 2017 com o tempo de 4h15min e contou como foi sua experiência.

Dia 01 (19/02)

Aclimatação

Cheguei a Tóquio com uma semana de antecedência, no dia 19 de fevereiro, para me aclimatar. O voo durou 36 horas! Minha amiga, que iria correr a prova ao meu lado, e eu nos hospedamos no agitado bairro Shinjuku, a 5 minutos a pé da largada da maratona. 

Dia 02 (20/02)

Imersão japonesa

Já dentro do fuso horário japonês (12 horas à frente do Brasil), a primeira experiência foi pegar o eficiente, porém lotadíssimo metrô. Viramos sardinhas em lata! Visitamos a Torre de Tóquio e fizemos um passeio pelo bairro Marunouchi e pelo belo Jardim Joishikawa Korakuen, onde se encontra a ponte vermelha Tsukenkyo.

Dia 03 (21/02)

Trote e passeio

Trotinho cedo no Parque Yoyogi com temperatura de 1°C. Durante a corrida foi possível ver as cerejeiras, que já começavam a florescer. Pela tarde, visitamos o Templo Senso-Ji e subimos até o topo da torre Skytree, de onde se pode avistar o imponente Monte Fuji.

Dias 04 a 07 (22 a 25/02)

Hora de relaxar

Com a proximidade da prova, decidimos aliviar nos passeios para nos poupar. Afinal, teríamos 42 km pela frente. Nesses dias que antecederam a corrida, visitamos alguns templos, o Palácio Imperial e fizemos trotes leves. 

Dia 08 (26/02)

Chegou o dia!

Dia da maratona! Largamos logo cedo, com o termômetro marcando 3°C. A prova é extremamente organizada e plana. Pudemos ver milhares de japoneses na rua torcendo intensamente por cada corredor. Destaco também os voluntários, que se entregam de corpo e alma ao evento. Concluí o trajeto em 4h15min cheia de alegria.

Dia 09 (27/02)

Sayonara

Dia de despedida. Estava um pouco cansada, mas sabia que meu dever havia sido cumprido. Bem cedo pegamos o Shinkansen, o trem-bala, para seguir mais alguns dias passeando por Kyoto.

 

Leia mais

Pernambucano supera cirurgia no coração e disputará 100ª maratona

Maratona de Nova York: os encantos da maior do mundo

Rodrigo Rivellino: correndo pelo mundo

 

Ficou com vontade de correr a Maratona de Tóquio? Veja ainda alguns lugares que você pode visitar: 

Jardim Koishikawa Korakuen

Localizado no bairro de Bunkyo-ku, tem rica fauna, rios e muito verde. Ocupa uma área de 160 mil metros quadrados.

 

Koyko

É a residência oficial do Imperador. Tem aproximadamente o mesmo tamanho do Central Park e seu valor é equivalente ao de todos os imóveis da Califórnia.

Templo Senso-Ji

É o templo mais antigo de Tóquio em homenagem à Kannon, deusa da misericórdia. Ele atrai muita gente para sua oração budista e para observação cultural.

Cruzamento de Shibuya

É o cruzamento de ruas mais movimentado do mundo. São cinco ruas que se encontram, oito semáforos que fecham ao mesmo tempo e uma estação de trem e metrô que fica à frente do cruzamento.

Mercado Tsukiji

É o maior mercado de peixes e frutos do mar do mundo. Abriga o famoso leilão de atuns de Tóquio, com peças vendidas por até € 600.

Santuário Meiji Jingu

É um dos templos mais visitados em Tóquio. Na maioria dos domingos, ocorrem casamentos e, por isso, toda a área em torno do templo ganha vida e cor. 

Harajuku

A área é conhecida como principal ponto de encontro de adolescentes e recebe milhares de jovens fantasiados de personagens icônicos do Japão. 

Parque Ueno

É um dos maiores parques de Tóquio. Com entrada gratuita, possui um jardim zoológico e variadíssimos templos e museus. 

 

 

Calendário

Encontre um evento de corrida perto de você!

excluir cat: nao, desativa sempre post: nao, ativa sempre post: nao
Compartilhe por email!