Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

A modulação intestinal no exercício físico intenso

A modulação intestinal no exercício físico intenso

Consumo de alimentos ricos em amido resistente e fibras, como biomassa de banana verde e frutas, legumes e verduras, ajuda a evitar lesões no trato gastrointestinal
Claro: o exercício físico é ótimo para a saúde em diversos aspectos. Mas não podemos nos esquecer de que exercícios de alta intensidade, como o crossfit, podem causar lesões em algumas estruturas do nosso organismo – como o trato gastrointestinal.
A etiologia dos sintomas gastrintestinais durante o exercício é multifatorial e inclui a redução do fluxo sanguíneo intestinal, a liberação de hormônios gastrintestinais, o estresse mecânico sobre o TGI (impacto durante o exercício), desidratação, fatores psicológicos, idade, sexo, dieta e nível de treinamento.
A mucosa do TGI age como uma barreira entre os meios externo e interno, evitando a penetração de compostos antigênicos, carcinogênicos e tóxicos. No caso de redução de fluxo sanguíneo intestinal, a permeabilidade intestinal pode ser aumentada, permitindo a passagem desses compostos. A passagem de compostos agressivos disparam uma resposta imune local danificando ainda mais o epitélio intestinal.
Essa sequência de eventos contribui para potencializar o aumento da permeabilidade intestinal e da resposta inflamatória, ocasionando o desenvolvimento de sintomas gastrintestinais.
Assim, diarreia, obstipação, cólicas intestinais e inflamações sistêmicas musculares e articulares podem estar relacionadas não só com a lesão nesses tecidos, mas também com os gatilhos inflamatórios gerados pelo intestino.
Sendo assim, o nutricionista deve promover uma modulação intestinal a fim de prevenir esses eventos. Como estratégia de modulação intestinal, o nutricionista pode indicar o consumo de alimentos ricos em amido resistente e fibras, como biomassa de banana verde e frutas, legumes e verduras. O uso de suplementos também é bastante comum nestes casos, sendo assim, indicado o uso de probióticos e glutamina.

Leia mais

A importância dos probióticos e prebióticos para os atletas

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Thais Barca

Nutricionista pela Universidade Mackenzie e proprietária da Clinutri Nutrição Clínica e Esportiva, na Penha (SP). Pós-graduada em Nutrição Aplicada ao Exercício Físico pela USP e p... VEJA MAIS

Compartilhe por email!