Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Alicerces para se dar bem na maratona

Alicerces para se dar bem na maratona

A maratona é o tema da edição de março da revista O2, que mostra várias opções de provas, dicas e curiosidades sobre a mítica distância. Estreei na maratona 18 meses depois da minha primeira prova, um 6km dentro do Parque do Ibirapuera, e nesses 22 anos completei 28 competições de 42.195m.

Sem querer dizer o que você tem ou não que fazer, passo um pouco da minha experiência para aqueles que querem encarar uma maratona pela primeira vez – ou mesmo para aqueles que já completaram a distância mas ainda carecem de bagagem, o famoso “lastro”.

O treinamento desportivo é lastreado em três alicerces: treinos, alimentação e descanso. Minhas duas primeiras maratonas foram feitas sem nenhum tipo de acompanhamento profissional. Para minha terceira prova, que aconteceu seis meses após a anterior, tive a ajuda do meu treinador de provas de asfalto, o Vanderlei “Branca” Severiano. Em apenas três meses sob sua tutela passei de 3h37min para 3h09.

Ou seja, a primeira dica: procure um treinador que lhe conduzirá sem atropelos até a linha de chegada. Lembro que a primeira vez que o Branca me viu correr, ele corrigiu um desvio de postura. Eu corria “de lado” (no jargão dos corredores), como um pêndulo. Uma olhadela e alguns exercícios de educativos depois, passei a correr com uma postura bem melhor. A dica que dou neste sentido é procurar um treinador para ter ajuda qualificada.

Importantíssimo reforçar: antes de começar seus treinos, a consulta ao médico é fundamental. Exames bioquímicos, ortopédicos e cardiológicos são importantes para o início do programa de treinos. Antes de começar a treinar, certifique-se se você pode mesmo treinar. Simples assim.
Mas você não deve só treinar. Descansar, acredite, faz parte. Esta é outra importante dica. Respeitar os dias “off” é de suma importância para se recuperar do esforço feito e se preparar para os próximos dias de corrida. O descanso ajuda a evitar lesões, o overtraining e a longevidade atlética.

Cuide (muito) de sua alimentação. Consultar um nutricionista pode ser uma ótima dica para você conhecer o que lhe cai bem ou não. Saber se tem ou não deficiências nutricionais é um enorme passo ao sucesso. Não importa sua linha alimentar, se você gosta de carbo, se é vegan ou pratica a dieta paleo-low carb: há profissionais atuando em todas essas vertentes.

Importante também conhecer quais materiais que melhor se adaptam a você. Qual o tênis que lhe cai bem? Qual o gel ou suplemento que desce redondo, sem enjoos? Tudo isso só se conhece com testes e tentativas de erros e acertos. O que dá certo para mim pode não dar certo para você. Nunca se esqueça dessa regra.

Outro ponto importante é que você nunca deve fugir das adversidades dos dias de treinos. Está calor? Corra! Está frio? Corra! Está chovendo? Corra! Mas se você sentir que o corpo pede descanso mesmo naquele dia não sendo off, escute seu corpo – e o respeite. Só que nunca se esqueça: matar treino deve ser exceção, e não regra.

É isso: siga os alicerces, dedique-se, tenha alegria em correr e treinar. A medalha estará reluzente a te esperar na linha de chegada.

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Harry Thomas Jr

Jornalista especializado em corridas de rua desde 1999, Harry competiu pela primeira vez em 1994 e desde então já completou 31 maratonas – sendo três sub 3 horas: São Paulo (2h59min30)... VEJA MAIS

Compartilhe por email!