Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Correr realmente prejudica a cartilagem dos ossos?

Correr realmente prejudica a cartilagem dos ossos?

Não é de hoje esta discussão, mas sempre vale a pena esclarecer algumas questões sobre o assunto, visto que ainda há pessoas questionando e até culpando a corrida por lesões nas articulações, utilizando argumentos que muitas vezes, não são totalmente verdadeiros.

A cartilagem serve de amortecedor e fica entre a junção dos ossos. Parece uma borracha, mas é rica em água e composta por um tecido bem forte capaz de receber altos níveis de carga. Por conta disso, a cartilagem basicamente se machuca de duas maneiras distintas: pelo excesso ou pela ausência de carga. Sim, esta última poucos sabem, mas se a cartilagem não se submete a nenhuma ou a pouca carga, não é estimulada o suficiente para sua manutenção, podendo afetar a lubrificação e, consequentemente, sua capacidade de receber cargas. Geralmente ela recobre toda a superfície dos ossos que se conectam, favorecendo não apenas o amortecimento entre ambos, mas também um deslizamento fisiológico. O atrito entre os ossos é pequeno devido à lubrificação e à superfície extremamente lisa da cartilagem.

Para evitar a lesão desse tecido, é fundamental que exista um alinhamento adequado entre os ossos. Caso contrário, uma parte da cartilagem será mais exigida do que a outra. No longo prazo, uma pessoa ativa, que corre ou que se exercita de outra forma e possui algum tipo de desalinhamento, pode desenvolver lesões como osteoartroses, condromalácias e outras patologias que afetam a articulação forçada. Outro fator é o tempo que um indivíduo leva para se restabelecer após uma atividade física de impacto. Por exemplo, após um treino mais longo de corrida, as cartilagens do joelho e tornozelo podem sofrer desidratação, ficando um pouco mais rígidas e mais finas. Para que elas se recuperem, é preciso descansar e se alimentar adequadamente. O tempo de descanso necessário é individual. Infelizmente não é algo que a gente possa testar de um dia para outro, pois as consequências de não descansar corretamente só aparecerão no longo prazo.

Assim como em quase tudo no corpo, as cartilagens podem ser influenciadas por treinos, alimentação, estresse, imunidade, genética, entre outras variáveis. Por isso, é muito complicado afirmar que uma pessoa terá um problema na articulação só porque corre “torto”, ou porque já fez uma dezena de ultramaratonas. Na dúvida, a orientação é sempre a mesma: mantenha os músculos equilibradamente fortes (isso melhora o alinhamento entre os ossos); melhore sua mecânica da corrida (evita sobrecargas desnecessárias); cuide da alimentação (consuma os nutrientes básicos); melhore a qualidade do seu sono e descanse quando necessário. Para qualquer dúvida, consulte sempre um profissional de sua confiança.
E para terminar, não esqueça do mais importante: corra!

 

Leia mais

5 variações de agachamentos para corredores

Condromalácia patelar: o que é, como tratar e prevenir

Melhore sua performance com estes 6 exercícios

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Marcel Sera

Fisioterapeuta, palestrante e atleta amador! A ideia, aqui, é explicar como usamos e o que acontece com o nosso corpo em cada situação, ação e emoção de nosso dia-a-dia. Correr é uma... VEJA MAIS

Compartilhe por email!