Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Cereja pode ajudar na recuperação muscular de corredores

Cereja pode ajudar na recuperação muscular de corredores

Muitas pesquisas vêm relacionando o consumo de antioxidantes com a diminuição do estresse oxidativo e do processo inflamatório induzido pelo exercício físico intenso. E um alimento que vem recebendo bastante atenção devido ao seu alto teor de antioxidantes é a cereja de Montmorency.

A cereja de Montmorency é uma variedade da fruta oriunda da América do Norte, mais especificamente da região de Montmorency, no Canadá.

A fruta é rica em antocianinas, com benefícios para saúde e um potencial efeito protetor pós-exercício por atuar na redução do dano oxidativo para os músculos, permitindo uma recuperação mais rápida após o treino.

Os polifenóis (principalmente antocianinas) da cereja, através de sua ação antioxidante e anti-inflamatória, podem ser responsáveis pela recuperação muscular nos atletas, inibindo inclusive a dor.

Entre os benefícios da cereja está a redução dos níveis de cortisol, diminuindo o catabolismo muscular após a realização de atividade física intensa e de longa duração. Assim, consequentemente atenua os danos sobre o tecido muscular.

Um estudo recente mostrou que o consumo de um extrato liofilizado de cerejas amargas por dez dias melhorou em 13% o tempo dos voluntários na meia-maratona. Além disso, incrementou vários parâmetros bioquímicos, reduzindo a dor e a lesão muscular de 24 a 48 horas após exercício.

Portanto, os estudos sugerem que o consumo de cereja de Montmorency (seja in natura, suco ou cápsulas com cerejas liofilizadas), compensaria em algumas situações.

Benefícios da cereja de Montmorency

– Favorece a recuperação muscular após os treinos
– Reduz os danos musculares ocasionados por treinamentos de alta intensidade
– Promove modulação da inflamação por reduzir a atividade e a concentração de fatores pró-inflamatórios
– Reduz a dor
– Regula o estresse oxidativo por modular atividades enzimáticas específicas
– Aumenta a performance no treino, consequentemente.

É difícil conseguir esse tipo de alimento no nosso país? Converse com seu nutricionista e encontre numa alternativa.

 

Leia mais

Aeróbio em jejum para aumentar a queima de gordura – vale a pena?

Aprenda 10 exercícios de força com o foam roller

Conheça três técnicas alternativas de fisioterapia

 

Referências

  • Antioxidant and Antiinflammatory Activities of Anthocyanins and Their Aglycon, Cyanidin, from Tart Cherries H Wang et al. Journal of Natural Products 1999; 62:294-296
  • Antioxidant Polyphenols from Tart Cherries (Prunus cerasus) H Wang et al. Journal of Agricultural and Food Chemistry 1999; 47:840- 844
  • Dietary Constituents as Novel Therapies for Pain J Tall and S Raja. Clinical Journal Pain 2004; 20:19-26
  • Effects of a Tart Cherry Juice Beverage on the Sleep of Older Adults with Insomnia: A Pilot Study W Pigeon et al. Journal of Medicinal Food 2010; 13(3):579-583
  • Efficacy of a tart cherry juice blend in preventing the symptoms of muscle damage DAJ Connolly, MP McHugh, OI Padilla – Zakour. Br J Sports Med 2006; 40:679- 683
  • Efficacy of tart cherry juice in reducing muscle pain during running: a randomized controlled trial K Kuehl et al. Journal of the International Society of Sports Nutrition 2010; 7:17
  • Levers, K.; Dalton, R.; Galvan, E.; Goodenough, C.; O’Connor, A.; Simbo, S.; Barringer, N.; Mertens Talcot, S.; Rasmussen, C.; Greenwood, M.; Riechman, S.; Crouse, S.; Kreider, R.; Effects of powdered Montmorency tart cherry supplementation on an acute bout of intense lower body strength exercise in resistance trained males; Journal of the international society of sports nutrition; (2015) 12:41. DOI 10.1186/s12970-015-0102-y
  • Levers, k.; Dalton, R.; Galvan, E.; O’Connor, A.; Goodenough, C.; Simbo, S.; Mertens Talcott, S.; Rasmussen, C.; Greenwood, M.; Riechman, S.; Crouse, S.; Kreider, R.; Effects of powdered Montmorency tart cherry supplementation on acute endurance exercise performance in aerobically trained individuals; Journal of the International Society of Sports Nutrtion; (2016) 13:22. DOI 10.1186/s12970-016-0133-z

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Carla Bogéa

Nutricionista (UFF), especializada em Nutrição Esportiva (UERJ) com doutorado em Ciência de Alimentos (UFRJ). Coordenadora do setor de nutrição da Federação de Atletismo do Rio de Jan... VEJA MAIS

Compartilhe por email!