Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Cicloturismo existe também na capital paulista

Cicloturismo existe também na capital paulista

Hoje escrevo meu primeiro texto para VO2 e resolvi inaugurar este momento contando um pouco como cheguei aqui.

Muita pedalada aconteceu na minha vida: já pedalei por São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Bahia, Fortaleza, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Manaus; e também México, Argentina e Peru. Tudo isso, apenas desde desde que voltei a levar uma criança na garupa: a Marina, a Nina, minha segunda filha, que começou a pegar carona na bike desde 2009 e até hoje já percorremos, no mínimo, 30.000 km juntas.

Esta nossa trajetória foi fundamental para conhecer pessoas, a estrutura das cidades, fazer e ser parte da mudança.

Voltando um pouco no tempo (na verdade bastante tempo…haha!) minhas primeiras pedaladas foram num sítio em Mailasqui, distrito de São Roque (SP). Aos 14 anos comecei a pedalar pra escola na região da Faria Lima, em São Paulo, e nesta época, me lembro bem, a bike era sinônimo de autonomia e liberdade – eu ia para todos os cantos da cidade sem gastar a mesada. Isso era muita vantagem!

Pra exemplificar minha trajetória com a Nina e me apresentar melhor, gostaria de mostrar este vídeo abaixo, que fizemos com a Renata Falzoni, do Bike é legal, em uma cicloviagem até a Cachoeira do Jamil, em Parelheiros, com direito a barraca de camping, saco de dormir, comida e troca de roupa penduradas na bike.

Foi uma viagem cansativa e divertida. Utilizei uma ajudinha do pedelec* apenas nas subidas. Na volta, infelizmente sem imagens, pegamos um temporal nas estradas de terra e por fim, chegamos em São Paulo como trapos felizes.

Em meus próximos textos, espero poder compartilhar com vocês nossos caminhos pelas cidades.

 

 

*PEDELEC (do inglês: Pedal Electric Cycles) é uma bicicleta elétrica que, através de sensores na pedalada, sustenta o esforço do ciclista somente durante a pedalada, ou seja, em uma subida, o peso da bicicleta é dividido com o ciclista pelos impulsos do PEDELEC. Você não deixa de pedalar, apenas tem um empurrãozinho na subida.

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Silvia Ballan

Ciclista urbana há 28 anos, é editora de vídeo, bikerrepórter do Bike é Legal e Instituto CicloBR, voluntária das ONGs Bike Anjo e Ciclocidade e publicadora da comunidade Silvia e Nina... VEJA MAIS

Compartilhe por email!