Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Deixe o cronômetro em casa

Deixe o cronômetro em casa

No primeiro mês do período de base uma regrinha pessoal que trago é não me preocupar com tempo. A planilha pede que eu corra uma hora, então vejo o horário do início do treino e sigo minha percepção de espaço-tempo.

Nesta ‘base 1’ o tempo intermediário (passagens, pace, etc.) não é importante. O que conta é o tempo entre o início e fim do treino. Para surtir efeito total deixo o cronômetro em casa. Como estou sempre em posse do celular (levo nessas cintas ‘belts’) é por lá que balizo o tempo transcorrido de corrida.

A função do período base, e ainda mais no primeiro mês, é ganhar volume, rodagem, capacidade aeróbica, sem se preocupar com o tempo. Esqueça distância. Foque no tempo transcorrido em sua totalidade, que seja uma ou duas horas, ou mais ou menos.

Leia mais

Correr com camiseta regata

Correr de manhã ou à noite?

Encaixando o treino

Um grande treinador dizia que se você não consegue tirar os olhos do cronômetro, deveria então cobrir o visor com alguma fita ou esparadrapo. Deixando o gadget em casa você também aproveita para tirar a marquinha da pulseira deixada em seu pulso pelos 11 meses de uso incessante.

Correr sem controlar tempo intermediário serve para aliviar a mente do stress que a busca frenética por ‘pace’ e seus registros nos impõem.

Enfim, correr sem ser escravo do cronômetro lhe trará o prazer intrínseco do puro ato de correr. Como se vê, deixar às vezes seu cronômetro de lado faz bem para o corpo, para a mente e para a alma.

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Harry Thomas Jr

Jornalista especializado em corridas de rua desde 1999, Harry competiu pela primeira vez em 1994 e desde então já completou 31 maratonas – sendo três sub 3 horas: São Paulo (2h59min30)... VEJA MAIS

Compartilhe por email!