Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

El Cruce x El Origen: qual é mais bacana?

El Cruce x El Origen: qual é mais bacana?

Adoro correr uma prova longa em etapas e, principalmente, dormir no meio do mato. Curtir o acampamento, dividir uma refeição com um amigo que a montanha acaba de apresentar, tomar banho no lago gelado e observar o céu da Patagônia são experiências inesquecíveis. Já corri três edições do El Cruce (2013, 2014 e 2015) e uma do El Origen (2016). Ambas são disputadas nas lindíssimas montanhas da Patagônia e têm duração de três dias. Mas as semelhanças acabam aí.

Em 2013, quando participei do El Cruce pela primeira vez, a prova já estava consagrada no Brasil, mas reunia um número muito menor de participantes. Acompanhei literalmente in loco a sua incrível expansão em três anos consecutivos e o fenômeno de marketing que ela se tornou. E foi justamente isso que acabou por me desanimar.

Nos acampamentos, percebi que as filas estavam cada vez maiores. Fila para ir ao banheiro, para deixar o relógio para recarregar, para descobrir o horário da minha largada ou para retirar uma bebida ou fruta (limitadas a uma unidade apenas) na hora das refeições. Me senti em uma megalópole no meio do mato.

Descobri o El Origen sem querer. Além do custo muito mais acessível, ela oferece duas opções de distância – 100 km ou 50 Km – que podem ser completadas nas categorias solo ou em duplas. Outra diferença é a possibilidade de o corredor optar entre se hospedar em hotéis nos arredores ou utilizar o camping do acampamento base.

Enquanto no Cruce as refeições são sempre as mesmas – churrasco, macarrão, arroz e frutas – no El Origen ela varia a cada dia. Tem a noite do churrasco, da pizza e da massa. O El Origen é totalmente disputado em solo argentino, tendo o capacete como item obrigatório. O Cruce, via de regra, envolve cruzar a fronteira com o Chile.

Se o Sebastián Tagle, diretor do Cruce, é praticamente inacessível, o Mariano Alvarez, diretor do El Origen, é figura onipresente por onde quer que você passe no circuito da prova. E ele também faz questão de participar da festa de encerramento, realizada sempre na noite da última etapa embalada pelo melhor rock argentino.

 

Leia mais

Correndo nas montanhas da Califórnia

Andam banalizando as distâncias no trail running

Quando o ritmo não encaixa na corrida

 

Mas, para mim, a grande diferença entre ambas é que enquanto o Cruce tem uma pegada muito mais competitiva, no El Origen prevalece uma atmosfera mais contemplativa. Para quem já correu ambas isso fica muito claro. Pessoalmente, prefiro o perfil mais low profile do El Origen, que reúne, por enquanto, cerca de 400 participantes.

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Karen Kornilovicz

Bacharel em Jornalismo, é blogueira e trail runner. Após mais de uma década correndo no asfalto, em 2011 trocou a rua pela montanha. Há um ano, descobriu também a mountain bike e a corr... VEJA MAIS

Compartilhe por email!