Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Em busca de um like perdido do “nós” contra “eles”

Em busca de um like perdido do “nós” contra “eles”

Não bastasse a polarização política e social em voga no Brasil, ainda existem grupos no Facebook “semeando a discórdia” entre corredores trail contra aqueles que competem no asfalto sob o falso manto do humor, por meio dos famigerados (e porque não dizer agressivos) “memes”.

Pior: criaram subgrupos de corredores formados por aqueles que correm prova de montanha de “verdade” e dos que participam de trail runs, digamos, “mais comerciais” ou mainstream como um El Cruce, um K42, entre outras provas. Já vi in loco atletas como Killian Jornet, Miguel Heras, Anna Frost e Luis Alberto Hernando (só para ficar em alguns nomes do supra sumo do trail mundial) correndo numa dessas provas, que os “puristas” dizem ser uma empulhação. No mais, comparar asfalto versus trilha é de extrema desonestidade intelectual para o público desavisado.

Óbvio que a montanha, com suas íngremes subidas e perrengues, requer um trabalho de força muito maior. Mas vai o trilheiro-amador chutar uma maratona no asfalto em um pace constante, com sangue nos olhos sem a paradinha para tomar água ou folego…Ou seja: cada modalidade uma sentença. O que é mais difícil: ser forte ou rápido? Creio que não há comparativos. Se pegarmos os melhores trilheiros mundiais e os colocarmos no asfalto com os melhores do asfalto, seus paces serão medíocres.

A recíproca também é verdadeira. Tanto Kimetto quanto Killian são corredores. Ninguém é mais ou menos corredor do que o outro. O que acontece é a especificidade que existe relação a treinos específicos, além das características físicas para determinado tipo de prova. Em suma: é apenas uma questão de especialidade diferente. Mas fazer o que com essa parcela da sociedade que defende suas toscas convicções em busca de um like perdido?

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Harry Thomas Jr

Jornalista especializado em corridas de rua desde 1999, Harry competiu pela primeira vez em 1994 e desde então já completou 31 maratonas – sendo três sub 3 horas: São Paulo (2h59min30)... VEJA MAIS

Compartilhe por email!