Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Existe mesmo a tensão pré-maratona (TPM dos atletas)?

Existe mesmo a tensão pré-maratona (TPM dos atletas)?

Quando se tem um calendário bem planejado e alinhado com seu treinador com as provas-alvo devidamente definidas, é natural que se tenha um tempo maior de preparação para cada uma. Consequentemente, a rotina de treinos passa a ser ainda mais percebida e sentida pelos atletas, independentemente do nível e objetivo.

A falta de competições recorrentes (comum hoje em dia) e a cabeça centrada naquele objetivo que ainda está distante fazem com que a ansiedade aumente dia após dia e dê espaço à famosa TPM – tensão pré-maratona.

Como já citado em publicações anteriores, minha última prova oficial de triathlon foi o Ironman Brasil, no dia 26 de maio de 2013. Trazendo para o meu universo, pouco mais de três anos se passaram e estou na reta final de um ciclo de cinco meses de preparação para o meu retorno, no Challenge Maceió (prova na distância 70.3).

Superado todo histórico que tive com a prática do ciclismo, muito mais maduro na corrida e tendo a natação sempre como minha modalidade mais segura e consistente, tudo caminha para que o dia 21/8 seja um dia muito especial.

Hoje, uma pessoa próxima me perguntou: será que você vai estar nervoso na largada? Sinceramente, não soube responder. Tenho um histórico de mais de 150 provas dos mais diferentes tipos, lugares e até mesmo países nos últimos seis anos e tenho dúvidas se seria nervosismo ou ansiedade na hora da largada.

Primeiro, vou detalhar um pouco mais o meu ponto de vista e depois vou dar a palavra ao meu treinador Rodrigo Lobo, que possui um currículo incrível como atleta e, em suas duas participações em Ironman, carimbou o passaporte para mundial do Havaí! Que tal?

Bom, no meu ponto de vista, uma competição começa ainda no Google. A partir do momento em que busco informações, entendo e defino ali que este será o desafio, já está valendo. Dali em diante, muitas vezes um ano antes (ou até mais), muitas coisas devem ser vistas, planejadas e executadas.

Como costumo dizer em minhas palestras, a linha de chegada é apenas 1 segundo de uma história enorme e muito especial, uma vez que você chegou até ali.

Ter esse alinhamento profundo com seu treinador, nutricionista e etc. é fundamental. Dali em diante, o ciclo de treinamentos tem início e, muitas vezes, tratamos de um período muito longo (meses!) com uma ou outra competição no meio só para dar aquela “quebrada“ na rotina.

Mas se estamos realmente focados naquele objetivo, nada nos tira a prova-alvo da cabeça. Conforme a data vem se aproximando, começamos a ter maior dificuldade em segurar a ansiedade, acarretando em treinos concluídos de forma mais dura, pesada e menos prazerosa.

Quando o volume de treinos cai (fase do polimento), acabamos tendo a sensação plena de que estamos perdendo condicionamento e que tudo foi por água abaixo. Será?

Minha conclusão é que devemos confiar 100% em quem escolhemos para nos acompanhar e preparar. Os caras sabem o que estão fazendo e se nós já temos certa experiência, imaginem eles. Por fim, o mais bacana de tudo (e que na grande maioria das vezes não fazemos) é curtir cada fase. Da dor ao prazer, tudo é muito bacana desde que estejamos abertos a viver cada treino como se fosse o último e o mais especial da sua vida.

Focado nisso, as dúvidas e inseguranças sempre estarão em segundo plano. Posso garantir que o tempo vai demorar para passar, então que tal pesquisar o que fazer lá por perto de onde vai competir? Planejar algo especial com sua namorada(o) mulher/marido, filha(os)… enfim, garanto que coisas para fazer não vão faltar… Basta pegar leve e viver!

Para finalizar essa matéria, segue a visão do coach Rodrigo Lobo sobre o assunto:

“Após esta aula sobre a TPM sob o ponto de vista de meu atleta, que é extremamente focado, curioso e disciplinado, fica até difícil falar algo inédito. Minha história como atleta há quase 20 anos e treinador há pelo menos 10 anos me ajuda a entender um pouco melhor este fenômeno.

Quem nunca passou por isso antes? Aquele frio na barriga, aquela vontade de ir ao banheiro dias e momentos antes de uma prova… enfim: Isso é normal?

Minha conclusão é que se um dia isto não for normal e não acontecer mais, desista do esporte que pratica e procure fazer algo diferente, pois o combustível que te move neste caminho pode estar acabando.

Jamais pense em acabar com essa tensão pré-prova! Apenas saiba controlá-la e torná-la uma aliada de sua jornada para o sucesso. Para isso, faça tudo o que o Borelli citou acima, conversando constantemente com seu treinador, para entender tudo o que está sendo feito, treinando com regularidade, disciplina e mantendo-se focado em sua meta e na realização de seu sonho.

Se você estiver no caminho certo e sentindo prazer pelo que está fazendo, essa tão temida TPM não derrubará você. Muito pelo contrário. O resultado final será surpreendente e inesquecível”

Um forte abraço e até a próxima!

Leia mais

Prazer em meio à crise

Maratona de Roma: 42km de muita história

Madri muito além da meia maratona

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Arthur Borelli

Empresário e atleta amador, Borelli direcionou sua vida profissional e pessoal para o esporte e garante que foi a melhor escolha que fez na vida. Atualmente, transita entre maratonas, corri... VEJA MAIS

Compartilhe por email!