Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Glúteo médio: sua importância e como trabalhá-lo corretamente

Glúteo médio: sua importância e como trabalhá-lo corretamente

De uns anos para cá, diversos estudos mostraram a importância do glúteo médio para se ter coluna, quadril e joelhos saudáveis para correr e caminhar.
Quando pensamos em músculos, a primeira coisa que vem à cabeça é se perguntar se estão fortes ou fracos, alongados ou encurtados. Por mais estranho que isso pareça, na prática encontramos pessoas bem alongadas e muito fortes, mas que estão sucetíveis a dores e lesões. O contrário também ocorre – pessoas “fracas”, mas sem dores e lesões. Isso porque nossa referência está errada quando achamos que fortalecer e alongar resolvem todos os problemas.

Por causa da onda de artigos sobre o glúteo médio, as pessoas começaram a fortalecer incessantemente esse músculo, gerando tensionamento excessivo, dor local ou até mesmo na lombar. Claro que o resultado pode variar em cada caso, mas o que geralmente ocorre é um desequilíbrio muscular importante, bloqueio de micromovimentos (importantes para dissipar forças de atrito em articulações, ajudando no ajuste biomecânico) e a ineficiência deste músculo como estabilizador lateral da pelve.

 

Leia mais

Estalos nos joelhos do corredor devem ser motivo de preocupação?

Dicas básicas e importantes para seus primeiros passos na corrida

Corrida de rua é mais popular do que basquete nos EUA

 

Percebendo o glúteo médio e seu trabalho

Para entender o papel do glúteo médio é só colocar as mãos a cintura, logo abaixo da crista ilíaca (aqueles ossinhos salientes) e ficar sobre um pé só. Note que o lado que se contrai é aquele cujo pé está apoiado. Essa contração acontece para evitar a queda da pelve (bacia) para o lado do pé que está no ar.

 

Posição para perceber a ação do glúteo médio
Posição para perceber a ação do glúteo médio

 

O trabalho de ativação do glúteo médio deve seguir um contexto funcional, trazendo o músculo para o seu funcionamento natural. Quando fortalecemos um músculo fora de sua função e em excesso, estamos ensinando nosso cérebro que este músculo deve ser mais rígido. Dessa forma, a musculatura acumula tensão local, que se traduz em um aumento de atividade neural e de colágeno. Quando trabalhamos o músculo dentro da função, o cérebro entende o momento certo de ativá-lo como estabilizador e isso gera eficiência biomecânica (tanto na corrida como ao caminhar).

 

O que pode ser feito?

glúteo médio
Uma das variações de prancha de lateral para trabalhar o glúteo médio

Na prática, o ideal é sempre fortalecer a musculatura com o corpo mais próximo possível da posição em que a região precisará ser ativada. Exercícios de equilíbrio unipodal (em um pé só) normalmente são ótimos para trabalhar o glúteo médio. Entram com complemento as pranchas laterais, mas não há necessidade de ficar competindo por vários minutos na posição. Existem variações de prancha lateral com movimentos que provocam estabilizações diversas e que se mostram mais interessantes. Lembre-se de que a variação de estímulo é outra parte fundamental da evolução do corpo e dos treinos!

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Claudio Cotter

Fisioterapeuta esportivo e gestor da CM2 Clínica Multidisciplinar em São Paulo. Pós-graduado em Medicina Psicossomática, especialista em RPG, Método Busquet e Força Dinâmica. Palestra... VEJA MAIS

Compartilhe por email!