Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Haute Route: um desafio de endurance

Haute Route: um desafio de endurance

Acontece desde o dia 16 de agosto uma das provas amadoras de ciclismo endurance mais conhecidas e duras do cenário internacional: o Haute Route.

Com quatro anos de vida, o Haute Route começou com um circuito nos Alpes, entre a Suíça e a França, se estendendo posteriormente para os Pirineus, entre a Espanha e a França. Este ano, há uma terceira opção de trajeto nos Dolomitas, entre a Itália e a Suíça. Esta prova tem aproximadamente 900 km de percurso, realizados em sete etapas/dias. A cada dia a altimetria acumulada fica em torno de 3-4mil metros de ascensão. Isso tudo não seria tão impossível se não fosse o visual que o Haute Route proporciona. Quem já teve a oportunidade pedalar na Europa sabe que mais vale o momento vivido ali, do que uma posição no pódio.

Desde sua primeira edição, temos brasileiros inscritos no Haute Route. E este ano, não seria diferente. Cerca de 30 brasileiros estarão presentes em uma das etapas, seja nos Dolomitas, Pirineus ou Alpes. Cada uma delas acontece em semanas consecutivas e com apenas um dia de descanso. E sim, existe a categoria “malucos” chamada oficialmente de “Triple Crown”, quando o competidor participa das três edições consecutivas.

E o que a torna tão difícil se comparada ao Tour de France, por exemplo? São sete etapas seguidas, sendo três ou quatro montanhas por etapa. Em uma etapa do Tour de France, Giro d’Itália ou Vuelta a España, os atletas fazem duas, no máximo três montanhas por etapa. No Haute Route o competidor faz tudo por sua conta e não possui um “faz tudo” nas massagens, mecânica, jantar, etc. A organização oferece massagista com hora marcada, um almoço e o transporte da sua bagagem até o hotel da etapa seguinte. Durante a prova, oferecem também de três a quatro pontos de apoio com hidratação e alimentação. Fora toda a segurança e apoio da polícia e a patrocinadora a Mavic, com rodas e bikes reservas.

Par quem tem dúvida se consegue fazer a prova (e completá-la), saiba que:

– tem de gostar de acordar cedo, pois as etapas começam por volta das 6h30-7h;
– é bom estar acostumado a andar dias consecutivos;
– deve estar pronto para subir as montanhas mais famosas da Europa;
– tem de estar pronto par abdicar um pouco dos finais de semana, para fazer treinos longos e simulados.

Se gostou do que leu acima, mas não tem certeza ainda, você pode fazer as seguintes provas antes de se inscrever para o Haute Route:
– L’Etape du Tour ( uma etapa do Tour de France, que acontece dias antes do Tour de France)
– o Haute Route Compact (são duas etapas seguidas nos Alpes). Isso é a versão reduzida!
– La Etapa argentina, dois dias seguidos de pedal, com menos subidas do que na Europa mas não menos difíceis.

Como treinar?
– procurar um professor para montar a sua periodização de treinos e aguentar até a data da prova (e ter êxito na mesma);
– dispor de três a quatro dias da semana (1:30-2:30) e um dia do final de semana (acima de 3h e não muito mais que 5h);
– procurar um nutricionista;
– descansar bastante.

Boa sorte!

Foto: Reprodução Facebook (Haute Route)/Manu Molle

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Igor Laguens

É formado em educação física, especialista em treinamento de ciclismo e bike fitter certificado pelo Serotta International Cycling Institute. Treinador e diretor da assessoria esportiva ... VEJA MAIS

Compartilhe por email!