Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Intestino regulado, corrida regulada

Intestino regulado, corrida regulada

Pode parecer um assunto que seja motivo de constrangimento para algumas pessoas. Mas falar do funcionamento intestinal é fundamental no cuidado da saúde como um todo – principalmente para os corredores.

Da mesma forma que devemos nos preocupar com o alimento que estamos comendo, temos de nos ater aos resíduos que excretamos, pois dizem muito de como está o funcionamento do nosso corpo. Diferente do que muitos pensam, o intestino é muito mais do que o tubo pelo qual passam os alimentos em processo de digestão.

Além de funções de absorção de nutrientes, e de formação e lubrificação do bolo fecal, o intestino está relacionado à produção de neurotransmissores de prazer (serotonina) e saciedade, e pela vitalidade de todo o nosso sistema imune.

A maioria dessas funções se deve às bactérias que estão (ou deveriam estar) na parede intestinal. A microbiota (este é o nome) é constituída por cerca de 500 bilhões de bactérias de 400 espécies diferentes, determinantes para a integridade do organismo. 

A saúde da microbiota é fundamental para os corredores, uma vez que o exercício tem características imunossupressoras, isto é, deixa o organismo mais suscetível ao aparecimento de doenças e infecções.

Se a microbiota for danificada, há maior permeabilidade da parede intestinal, o que facilita a passagem de macromoléculas e microrganismos patógenos, toxinas e outras substâncias não desejáveis.

Hoje em dia existem muitos estudos que associam a saúde e a permeabilidade intestinal com o aumento das doenças autoimunes, diabetes, quadros de enxaqueca, insônia, depressão, doenças inflamatórias e até mesmo da obesidade.

Leia mais

Carboidratos à noite: pode ou não?

Para uma dieta vegana, qual o melhor suplemento alternativo ao whey protein?

Qual o melhor tipo de açúcar? Respondemos às dúvidas

Mas como avaliar e cuidar dessa microbiota? Quando há uma alteração no ritmo intestinal (muito lerdo ou muito acelerado, que funciona várias vezes ao dia com fezes muito pastosas), é comum a microbiota estar comprometida.

O mundo em que vivemos por si só não ajuda muito: estresse, poluição, excesso de alimentos industrializados e refinados, baixa ingestão de alimentos ricos em fibras, utilização de antibióticos ou excesso de outros medicamentos e mesmo a desinformação da importância de que se alimentar é diferente de matar a fome já são fatores significativos para um desequilíbrio dessas bactérias.

E se o indivíduo apresenta flatulência excessiva, empachamento, candidíase de repetição, enxaqueca, espinhas, muitos problemas de infecção, resfriado, frieira, fungos nas unhas, ele fatalmente pode estar sofrendo de problemas intestinais.

O fluxo intestinal ideal funciona de uma a duas, no máximo, três vezes ao dia. E o uso de laxantes não é recomendado, porque danifica de forma severa a microbiota – em caso de desarranjos frequentes, é muito importante procurar ajuda para restabelecer o intestino.

As atividades metabólicas estão todas integradas, e o bom funcionamento do seu intestino com certeza vai contribuir muito para uma melhora na qualidade de vida e no rendimento na corrida.

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Mariana Klopfer

Mariana Klopfer é formada em nutrição pela Universidade de São Paulo (USP) e diretora clínica da Nutricius - Nutrição Esportiva... VEJA MAIS

Compartilhe por email!