Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Kit de primeiros socorros para os ciclistas

Kit de primeiros socorros para os ciclistas

Não se trata daquele que estamos acostumados nas ambulâncias, com caixa branca, cruz vermelha no meio, gases, esparadrapos, e tudo o mais. Queria falar do que devemos usar quando saímos de bicicleta, seja para onde e pelo motivo que for: deslocamento, pequeno ou grande, trabalho, lazer, treinamento e até competição.

Quem tem uma experiência maior com a utilização da bike sabe que é muito comum ter problemas. Em especial em grandes cidades, onde o asfalto é ruim e os buracos são grandes. Ter um pneu furado e (porque, não) até mais, em uma mesma pedalada.

Existe aquele ditado que diz: quem tem dois, tem um. Quem tem um, não tem nenhum. Pois bem, com a bicicleta isso é a pura verdade. É de vital importância, por exemplo, que saiamos pedalando com, pelo menos, duas câmaras de pneus. Já pensou se você fura uma vez, e ainda está longe do seu destino final? E, se ao trocar a câmara furada, não se certificar de qual o motivo pelo qual o furo aconteceu? Nem bem saiu para pedalar, e lá se foi o pneu a furar de novo!

Bem, seguindo este raciocínio, não de negatividade, mas de prudência, gostaria de sugerir que você prepare seu kit de primeiros socorros. E aí vou justificar o porquê de cada item. Vamos lá?

  1. Compre uma bolsinha. Dessas que se vendem, especialmente, para levarmos estes acessórios de segurança;
  2. Não saia sem um documento de identidade, um número de emergência, e se possível até tipo sanguíneo, para o caso de precisar de atendimento médico e de ajuda;
  3. Coloque no mínimo duas câmaras de pneus e um par de espátulas para trocar se necessário (é importantíssimo você vivenciar a experiência da troca, para não depender de alguém para ajudar e/ou ficar “na mão”. Os mais precavidos ainda colocam na bolsinha um kit remendo. É mais trabalhoso, mas extremamente útil;
  4. Ferramentas como um canivete de chaves, além de trocador de correntes, o ajudarão nessa situação, que não é rara, mas é mais difícil que ter um pneu furado. E não deixe de colocar, também, um valor em dinheiro, para possíveis necessidades (por exemplo: para comer por conta da hipoglicemia, comprar líquidos por conta da desidratação, pegar um ônibus ou taxi em direção ao local determinado, entre outras coisas);

Outras considerações importantes, fora do contexto da bolsinha:

  • Use sempre lanterna traseira, em especial, à noite. E, se possível, durante o dia também;
  • Nunca saia sem capacete
  • Vista roupas coloridas ou reflexivas, para ser visto pelas ruas, uma questão de segurança;
  • Utilize, sempre, luvas e óculos de proteção;
  • Se possível, vista roupa apropriada, em especial a bermuda que tenha um acolchoamento, para ter maior conforto;
  • Certifique-se de que as blocagens, que predem as rodas na bicicleta, estejam bem pressionadas e que os freios estejam funcionando de forma adequada;
  • Veja se os pneus estão bem calibrados (pneus furam mais facilmente, se tiverem mal calibrados, ou mais vazios do que o normal).

Bem, é isso. Acredito que seguindo as normas de trânsito adequadamente e escolhendo com coerência as rotas e lugares por onde você irá passar com sua bicicleta, os riscos serão minimizados. E, mesmo que você tenha alguma experiência de urgência, essas ferramentas o ajudarão bastante, para que você, de forma independente, consiga corrigir os erros, ou resolver os problemas, e seguir sua viagem.

Ótimas pedaladas!

 

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Ricardo Arap

É educador físico, especialista em treinamento desportivo e ciclismo, e diretor-técnico da Race Consultoria Esportiva. Atleta amador de ciclismo, tem em seu currículo 12 participações ... VEJA MAIS

Compartilhe por email!