Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Madri muito além da meia maratona

Madri muito além da meia maratona

Uma cidade linda, pessoas muito bem vestidas, calmas e com um silêncio até estranho por toda cidade. Essas foram minhas primeiras impressões em minha passagem por Madri. Até então estes pontos todos podem ser bem pessoais, concordam? De qualquer forma, quando falamos de Competir, Viajar e Curtir, Madri foi um “prato cheio”!

Conheço alguns amigos que já estiveram presentes na Meia Maratona de Madri e todos, sem exceção, falaram muito bem desta prova – realizada no último dia 3 de abril. Na mesma linha, quem passa por Madri come MUITO bem e pode lotar a agenda de pontos turísticos e bem especiais para conhecer e aproveitar. Dentro dos 4 dias que estive por lá, incluindo o dia da Asics Medio Maraton Madrid, consegui fazer agendas bem interessantes e que acho bacana compartilhar com vocês. Podemos, hoje, ir pela ordem que dita esta coluna? Vamos lá:

COMPETIR:

A Meia Maratona Internacional de Madri custou apenas 17 euros. A feira, apesar de pequena (mas mesmo assim bem maior das que vemos por aqui no Brasil), era simples, mas extremamente completa e organizada para receber de forma prática e rápida os mais de 13 mil atletas inscritos tanto nos 21k como nos 5k (prova extra com perfil festivo).

A prova tem largada e chegada em lugares diferentes. Numa primeira impressão, isso sempre gera um desconforto para os atletas, mas lá posso garantir que não interfere em absolutamente nada porque a distância entre os pontos é pequena – algo em tono de 1,5km.

A largada ocorre na grande avenida com nome de Passeo del Prado, em frente ao Museo del Prado, em um ponto lindo e muito bem arborizado (como boa parte da cidade). Já a chegada ocorre dentro do Parque de Madrid, o que faz do momento sempre mágico de cruzar o pórtico ainda mais especial!

Com uma organização impecável, pude vivenciar talvez a meia maratona mais especial de todas as mais de 40 que já corri. Digo isso pois a hidratação foi perfeita, sinalização completa e clara (mesmo para estrangeiros) e o principal: ao longo de todo o percurso a população vibrava forte com a nossa passagem. Diferentemente de várias situações que já vivi, em Madri o pessoal realmente vivencia essa experiência em todos os sentidos!

Por fim, preciso falar dos competidores. Que nível! Eu fiz uma boa marca, no meu ponto de vista. Corri para 1h23min50s e mesmo assim minha classificação final foi de 334!!! É curioso, pois quando corremos um pouco mais lá na frente (me permitam falar desta forma), conseguimos saber, com raras exceções, quem são aqueles aventureiros – atletas que saem arriscando tudo até onde der – e também os caras que já têm algo a mais e vão segurar a pancada do início ao fim.

Em Madri, larguei no segundo pelotão (atrás da elite) e junto dessa galera. Logo no primeiro km já percebi que o negócio ali era muito mais sério e pouquíssimos eram os tais aventureiros. Isso explica a minha classificação e dá todos os méritos aos atletas que lá estiveram e correm, em sua grande maioria, abaixo de 1h20min, mesmo em um percurso rápido, mas nem um pouco plano.

VIAJAR:

Bom, viajar por si só sempre é bom. Mas ir para uma cidade que oferece uma estrutura completíssima para sua população e, consequentemente, para os turistas é ainda melhor. Madri foi assim. Desde o aeroporto tivemos ótimo atendimento. Por absolutamente todos os lugares que passamos e visitamos encontramos uma limpeza de admirar.

Mesmo em grandes aglomerações de pessoas, o silêncio ou, ao menos, o baixo volume das conversas, também chamaram nossa atenção. Por fim, Madri oferece tudo que precisamos de forma prática para que seja possível ter uma boa experiência na cidade.

Placas turísticas, mapas, Bus Tour, aluguel de bikes, motos, enfim… Não existem desculpas para não conhecer ao menos os principais pontos da cidade como Palácio Real de Madrid, o tour incrível pelo estádio e toda história do Real Madrid, andar pelo centro histórico e conhecer a famosa Plaza de San Miguel e seu mercado, o Marco Zero, a famosa rua Calle Serrano e outras ruelas por ali onde ficam as lojas de grife e tantos outros lugares lindos e históricos.

Para treinar, é muito fácil. Calce seu velho e bom tênis e saia sem destino. Foi isso que fiz e não me arrependi em absolutamente nada. Dei apenas uma olhada prévia no mapa e fui embora – correndo e curtindo cada passada! Com uma população que respeita o próximo e com nenhum sinal de criminalidade, correr na rua é algo bem normal por lá. De qualquer forma o Parque de Madrid e uma área extremamente bem arborizada, abaixo do Palácio Real de Madrid, oferecem opções bem bacanas para suar a camisa.

CURTIR:

Desculpem-me, mas não temos como não falar da gastronomia aqui. Madri nos proporcionou dias incríveis também neste sentido. Bons vinhos, tapas, massas, cafés da manhã típicos e até mesmo jantar no restaurante certificado como o mais velho do mundo fizeram desta viagem algo ainda mais marcante.

Minha sugestão para o café da manhã é ir para qualquer uma das cafeterias locais. Mesmo no pré prova, eu me arrisquei e não me arrependi. Eles fazem um café muito bom e o croissant lá rola solto. Além disso, a famosa tostada faz parte de qualquer cardápio e cai muito bem.

Almoço tem para todos os gostos, mas vale visitar o Mercado de San Miguel e degustar tudo que a culinária local oferece. É uma experiência incrível! Agora jantar, no meu caso, é impossível não citar o La Bodega de Botin. Este é restaurante mais antigo do mundo. Basta entrar no local para se sentir na época medieval.

Com uma decoração, em sua grande parte, de alguns séculos atrás e uma cozinha extremamente rústica, os clientes possuem uma experiência única. No cardápio, eles oferecem pratos mais típicos da época, mas obviamente possuem opções mais “normais“. Uma dica importante: é necessário reservar pelo site com antecedência. Nós não reservamos e conseguimos uma mesa com MUITA sorte, pois o local estava incrivelmente cheio.

Não tenho dúvidas que ficarei de olho em outras provas por lá. A viagem como um todo foi incrível e poder viver tudo isso novamente será especial. Quem sabe uma maratona? Uma prova de triathlon? Vamos ver. Este mundo é muito grande e o melhor desta vida são as experiências que podemos ter e absorver para seguirmos em frente. É isso que busco e é isso que me move.

Um forte abraço e até a próxima, falando sobre a MARATONA DI ROMA!

A.B.

[nggallery id=371]

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Arthur Borelli

Empresário e atleta amador, Borelli direcionou sua vida profissional e pessoal para o esporte e garante que foi a melhor escolha que fez na vida. Atualmente, transita entre maratonas, corri... VEJA MAIS

Compartilhe por email!