Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Marcos Paulo Reis: O treinador que virou tênis

Marcos Paulo Reis: O treinador que virou tênis

O amigo Ricardo Chester, maratonista sub-5, publicitário brilhante e grande criador de slogans, saiu-se com esta ao descobrir que o célebre treinador Marcos Paulo Reis estava lançando um tênis exclusivo da Adidas, com o nome e as cores da sua assessoria esportiva, a MPR: “Só os grandes treinadores ficam no pé dos seus atletas. Chegou o Supernova MPR Adidas”.

O slogan não poderia ter ficado melhor. Primeiro, porque é criativo e divertido. E, além disso, porque é absolutamente verdadeiro. Ernest Hemingway não era criador de slogans, mas certamente cunhou frases espetaculares — e uma delas é esta aqui: “Good writing is true writing”, que pode ser traduzida livremente como “Escrever bem é escrever com verdade”. E se há uma grande verdade sobre o Marcos Paulo é que ele não larga do pé de seus alunos. Sou prova viva disso.

Com voz natural de megafone, a impressão de quem treina com o MPR é a de que ele mora dentro das nossas cabeças. “Tá morto, hein, Caetanoooooo!!!”, lá vem o grito, quando você já está quase fazendo a curva do final do pavilhão da Bienal. De onde veio esse grito? — penso.

Como será que esse cara conseguiu me enxergar aqui? Ele tem um drone? O fato é que, não importa o que você faça para esconder o mau preparo ou uma embromação nos treinos, Marcos Paulo Reis sempre vai descobrir e te dar uma bela chamada. E, por meio dessas chamadas, a gente aprende a se esforçar mais, a treinar certo, a correr melhor e mais fácil. Até o dia em que, quando estamos morando fora do país, como é o meu caso agora, sentimos uma enorme falta dos decibéis do professor.

 

Leia mais

Um corredor analógico

Não deixe que seu treinador se transforme em um Pablo Escobar

Os variados tipos de corredores

 

Muito além dos gritos, nosso querido MPR e sua assessoria são pilares do grande fenômeno da corrida de rua no Brasil. Fundou a MPR em 1992, há exatos 25 anos. Ele conta que as planilhas de treino, no início, eram feitas “no papel de pão”. Depois, a mulher Roberta começou a ajudar, sócios chegaram e a assessoria foi se profissionalizando até se transformar na maior da América Latina.

Um tênis exclusivo com o seu nome e as cores preta e amarela da MPR é um grande marco na trajetória do profissional, algo que só os grandes têm o privilégio de ostentar no currículo. E, quando falo grandes, quero dizer gigantes: como o legendário técnico da Universidade do Oregon, Bill Bowerman, que desenvolveu os primeiros tênis de corrida da Nike, nos anos 70, e o craque Lionel Messi, que também teve um tênis com o seu nome lançado pela Adidas. Vale lembrar que nenhum brasileiro jamais havia tido tal honraria.

De grito em grito, de planilha em planilha, de aluno em aluno, Marcos Paulo chegou a ser treinador da delegação olímpica brasileira de triathlon e construiu um legado invejável. Os privilegiados que foram ao lançamento conseguiram um autógrafo do Kipsang no tênis.

Por morar nos Estados Unidos, eu perdi a oportunidade — mas confesso que não fiquei triste. Quero que o meu par seja assinado pelo próprio MPR, alguém que, além de amigo, é ídolo e mestre. E isso, ao menos para mim, vale mais do que o recorde da maratona. Guardarei o tênis da mesma forma que os ensinamentos do Marcos Paulo Reis: para sempre.

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Marcos Caetano

Sócio da empresa de comunicação estratégica Brunswick Group e cronista esportivo.... VEJA MAIS

Compartilhe por email!