Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Mudaram minha prova! E agora?

Mudaram minha prova! E agora?

Tempos difíceis exigem um excelente planejamento para nosso retorno no segundo semestre. Quem aqui teve ao menos uma prova alterada pela pandemia? Acredito que, assim como eu tive a minha maratona adiada, muitos estão passando pela mesma situação.

Senti na pele toda a preparação ir por água abaixo nesse primeiro semestre, todos os treinos de base e todo o suor derramado. Contudo, bola para frente e vamos pensar em um bom motivo para não parar – o que vale para todos nós corredores, amantes do esporte e da endorfina liberada com nosso esforço ao correr, seja na esteira, nos parques ou avenidas.

Com essas alterações, o segundo semestre virá recheado de provas e novas boas oportunidades de conhecer pessoas, lugares e, melhor ainda, desafios esportivos. Pode ser nas provas de 5 km ou de 10 km, em uma meia-maratona ou até mesmo com uma maratona todinha para desfrutar.

Veja como só com essa mudança de pensamento fica muito melhor levar a atual situação.

Confesso que me preocupo com esse calendário apertado, mas vejo que podemos pensar em algo bacana para prevenir possíveis desconfortos musculares e até mesmo lesões por sobrecarga excessiva.

No último post (link aqui) dei algumas dicas para nos movimentarmos dentro de casa. Mas só isso não basta.
Clínicas de fisioterapia são serviços essenciais e por isso continuam abertas durante todo o período de quarentena.

Se você tem um fisioterapeuta de confiança (se não, estou aqui para lhe ajudar), vale muito a pena marcar uma sessão de avaliação funcional específica para corredores com o intuito de encontrar pontos positivos e negativos que a quarentena nos trouxe de forma inesperada.

E sugiro fazer essa avaliação agora, mesmo sem saber quando efetivamente iremos retornar. Se desde já soubermos os pontos negativos, teremos tempo suficiente para trabalhar e zerar esses “desequilíbrios”, e no retorno ter a liberdade de treinar normalmente amenizando os riscos.

Na avaliação funcional, realizamos alguns testes, entre eles:

  • Flexibilidade
  • Mobilidade
  • Força Muscular
  • Testes funcionais como saltos e subida e descida de degraus

Além disso, relacionamos esses testes com um questionário de qualidade de vida, fator intimamente ligado a lesões musculares e/ou articulares.

Gosto muito de citar que para chegar ao condicionamento ideal levamos muito tempo, mas para perdê-lo bastam poucas semanas. Levando em conta que já estamos parados há quase dois meses, temos mesmo que nos preocupar com nosso corpo.

Vamos nessa que logo estaremos juntos novamente!

Lembrem, MOVIMENTO é vida, vamos nos mexer!

Leia mais

Feito é melhor que o não feito: nos adaptando ao cenário do isolamento social

Do 0 aos 42 km em 18 semanas (conhecendo o universo da corrida)

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

André Ferraz

Cofundador da Rede Club Fisio de Fisioterapia , é Mestre em Ciências da Reabilitação, fisioterapeuta, goleiro e maratonista... VEJA MAIS

Compartilhe por email!