Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

No inferno a água é ruim

No inferno a água é ruim

Existe pelo menos um livro sobre a Badwater disputada em 2003. Trata-se da obra A few degrees from hell, de Scott Ludwig.

A fama que a Badwater tem hoje se deve, em grande parte, ao que aconteceu em 2003.  Em 2003, a temperatura no Vale da Morte, de onde larga a Badwater, atingiu 51.6 graus Celsius, a mais alta já registrada em uma edição da prova (a temperatura mais elevada nos EUA, 56.6 graus Celsius, foi igualmente aferida no Vale da Morte, no dia 10 de julho de 1913).

Daí a prova de 2003 ser considerada a mais dura dentre as até hoje realizadas. Apenas 46 dos 73 corredores que largaram em 2003 completaram a prova, ou seja, 63%, sabido que a média histórica é de 81%.    

Em 2003, largaram, entre outros, Pam Reed, Dean Karnazes, Marshall Ulrich, o brasileiro Sérgio Cordeiro, e o próprio autor da obra A few degrees from hell, Scott Ludwig.

Pam Reed (Pamela J. Reed) havia ganhado a Badwater em 2002, tornando-se a primeira e até hoje única mulher a fazê-lo, mas, qual nosso Marilson dos Santos quando da sua primeira vitória na Maratona de Nova Iorque, atribuíram seu êxito ao acaso (“Pam had to contend with the rumors that her 2002 Badwater victory was a fluke”, relata Scott Ludwig em seu livro), apesar de o segundo colocado, e primeiro homem, ter chegado mais de 4 horas depois dela.

Pam, disse-se à época, teria sido beneficiada por ter largado às 6 da manhã ao passo que os candidatos ao título, unicamente do sexo masculino, largaram todos às 10 horas, com o sol já praticamente a pino. 

Em 2003, Pam Reed tinha, pois, algo a provar. Ela largou às 10 hs e venceu novamente (“Pam Red was indeed no fluke. She as a Champion”, escreveu Scott Ludwig). O fato de ela ter chegado 25 minutos na frente do famoso ultramaratonista Dean Karnazes obviamente contribuiu para tornar seu triunfo ainda mais impressionante, e mediático.

Pam foi convidada a participar de vários programas de TV, incluído o David Letterman show, a divulgar a Badwater, tornando a prova conhecida.  

Segundo Scott Ludwig, em 2003, Dean Karnazes não estava preocupado em ganhar a Badwater.  Sequer fazia questão de chegar em segundo ou mesmo entre os dez primeiros. Ocorre que, para tornar a vitória de Pam ainda mais fantástica, cabia mencionar que ela havia derrotado Dean Karnazes.

A ‘derrota’ pra Pam de certo modo obrigou Dean a voltar em 2004 com um único objetivo, vencer. Karnazes não só ganhou como teve, também, sua revanche, já que em 2004 foi a vez dele deixar Pam Reed pra trás.[1]      

Marshall Ulrich tampouco estava preocupado com sua colocação na Badwater de 2003 – acabou em 24º , concluindo a prova em 45h30min. Ganhar para Ulrich não significa chegar em primeiro, significa chegar só. Marshall gosta de ser o único. No caso da Badwater, o único a fazer o chamado quad (quadruple), i.e., concluir a prova, dar meia-volta, e fazer o percurso na direção oposta, isso não apenas uma, mas duas vezes, percorrendo um total de 940 km em 10 dias. Marshall Ulrich não tem concorrentes, compete sempre sozinho.    

O brasileiro Sérgio Cordeiro completou a Badwater de 2003 em 40hs03min e ficou em 11º lugar. Sérgio não é mencionado por Scott Ludwig em seu livro. Parece, todavia, ter inspirado Pam Reed a redigir um capítulo da sua obra The extra mile, intitulado The man from Ipanema.

Pam conta que, em 2003, ela “encontrou, na largada, um atleta que parecia se incomodar com o fato de uma mulher, ela própria, ser a campeã de uma prova tão dura quanto a Badwater. Tratava-se de um brasileiro, aparentemente um dos melhores ultramaratonistas do Brasil, que parecia ter saído da praia de Ipanema”[2]. Pam conta que o brasileiro a seguiu de muito perto até o 48º quilômetro, quando, então: “finalmente me dei conta de que se eu quisesse livrar-me do brasileiro que me seguia de tão perto que chegava a atrapalhar o trabalho da minha equipe teria que acelerar verdadeiramente o passo. Soube depois que, tão logo o brasileiro me perdeu de vista, ele precisou parar de correr por algum tempo (o que é permitido). Teria ele sofrido um duro golpe ao ter sido batido por uma mulher ? Quero crer que sim”[3], conclui Pam Reed.     

Quanto ao autor da obra A few degress from hell, Scott Ludwig, saibam que, dentre todos os 46 corredores que em 2003 concluíram a Badwater, ele provavelmente foi o único a correr um dia depois de cruzar a linha de chegada.

Scott Ludwig corre desde 1978. Consta quecorreu todos os dias desde que começou a correr em 1978, contabilizados mais de 200.000 quilômetros. Se é verdade, Scott necessariamente escreveu seu livro correndo.

Leia mais

O dia em que fui mais feliz na corrida

O Santo Graal da corrida

Sem treino


[1] Em 2004, Pam Reed foi a quarta colocada.

[2] trad. livre.

[3] trad. livre. 

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Maurício Lopes

Mauricio Lopes é advogado, editor (fundador da Editora Leblon, que publicou, no Brasil, a obra 50 Maratonas em 50 Dias, de Dean Karnazes), leitor e colecionador de livros sobre maratonas. ... VEJA MAIS

Compartilhe por email!