Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

O que levar em conta na hora de escolher quais provas correr

O que levar em conta na hora de escolher quais provas correr

Chega o final da temporada e muitos corredores já estão planejando o calendário do ano seguinte. Nesta hora é importante ver se aquele sonho master realmente é viável ou não passa de uma utopia. Nem falo por questões econômicas de poder fazer uma viagem ao outro lado do mundo, mas de aptidão física e fisiológica para escolher quais provas correr.

É a hora do desprendimento como corredor das provas que não temos o perfil natural para correr. Eu mesmo não me vejo treinando para 100 milhas novamente. Estabeleci 100 km como distância máxima que quero alcançar.

E isso decidi ao observar como sofria em determinadas provas menores que me serviram de testes. Enfim, como já abordei aqui, ninguém precisa de rótulos. Somos todos corredores.

Mas em tempos de imagens, olhar uma foto do Matterhorn, nos Alpes, e estar e correr no Matterhorn é como a vida e morte: distintos e antagônicos.

Perfil de provas e o prazer de correr

Uma ferramenta de autoconhecimento que estou utilizando é observar o que gostei de correr esse ano e o que não gostei. Observar o que me fez ter essas percepções positivas ou não. Aprender com os erros e acertos.

Por exemplo: neste ano a prova que mais gostei de fazer foi a Meia Maratona Internacional Cidade de São Paulo, feita quase inteira debaixo de chuva. A lição que tirei (na verdade eu já sabia por experiência anterior) é que curto correr na chuva, e no futuro ao deparar com uma garoa ou tempestade devo encará-la como uma aliada e não inimiga.

Assim, entender o perfil do que se busca na corrida é meio caminho andado para a felicidade como corredor. Claro que todo corredor pode ser maratonista ou ultramaratonista, mas não é natural achar que que todos atletas devem passar por experiências dos 5 km até a ultra.

Leia mais

Muitos podem querer ser corredor de 5 km. Feliz? Isso é que importa, afinal, ninguém é obrigado a ser maratonista.
Então, um calendário planejado observando o que realmente vale a pena para nós mesmos, e não o que dita o coleguinha do lado nas redes sociais, é o caminho para a longevidade do prazer em correr e competir.

Quero correr provas curtas ou longas?. Qual meu objetivo? Ser um ótimo corredor de curtas distâncias ou um mediano de longas distâncias? Prefiro correr no asfalto ou trail? No frio ou calor? Com subidas ou flat?

Enfim é necessário ter autoconhecimento para buscar as melhores opções no grande leque de possibilidades que vários perfis de corredores possuem e encaixar na prova que mais tem a ver com você. A recíproca também é verdadeira.

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Harry Thomas Jr

Jornalista especializado em corridas de rua desde 1999, Harry competiu pela primeira vez em 1994 e desde então já completou 31 maratonas – sendo três sub 3 horas: São Paulo (2h59min30)... VEJA MAIS

Compartilhe por email!