Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Os benefícios dos running strollers

Os benefícios dos running strollers

Se pudesse voltar ao tempo, uma das certezas é que teria utilizado os ‘running strollers’ (carrinhos de bebê esportivos) na primeira infância da minha filha.

Como não é possível, sempre busco incentivar novos papais e mamães corredores para que não cometam o erro que cometi. Observando esse filão, empresas como Thule, Jeep, Chicco e Bob desenvolvem e investem neste segmento que cada vez mais ganha novos adeptos.

“Normalmente os proprietários são casais que curtem esporte, e na maioria dos casos que pudemos avaliar, os dois utilizam. Se os dois correm, a chance de ambos utilizarem é igual.”, avalia Giuliano Bertazzolo, coordenador de marketing para a América Latina da Thule.

Mas não pensem que tão logo a criança nasça já é possível sair treinando com o pimpolho. Existe uma idade mínima estabelecida para isso, pois até os nove meses de idade o bebê ainda não tem a musculatura rígida e formada, principalmente, na região do pescoço, o que pode desencadear algum tipo de lesão.

Mas nada impede que o recém-nascido passeie de ‘running stroller’ no dia a dia. É o caso de Ben Veloso, de cinco meses de idade, filho do casal Don Veloso e Natalia Bello.

“Meu filho usa carrinho desde o primeiro mês de vida, mas antes usávamos um carrinho com quatro rodas e rodas pequenas (o carrinho de bebê convencional). Quando tivemos a oportunidade de experimentar um carrinho robusto e com rodas maiores, vimos que para o bebê e para a locomoção pelas calçadas de São Paulo, que são péssimas e sem acessibilidade, ele é bem melhor”, revela Don, que daqui alguns meses vai poder realizar  um dos seus sonhos.

“Eu sempre sonhei que iria correr com meu filho, que encontraria ele na linha de chegada das provas e quando vi o carrinho que possibilitaria ele correr comigo fiquei encantado”, diz o corredor.

Além da facilidade para treinar, um benefício do uso deste tipo de carrinho de bebê esportivo é a união que o treino em família pode gerar.

“O que me levou a adquirir esse modelo é o fato de pode incluir meu filho e a mãe dele na minha rotina de treinos, além da possibilidade dele treinar junto e fazer as provas. A Natalia também pode caminhar tranquila e correr com ele no parque sem que pra isso precise ter alguém para deixar o bebê enquanto ela faz a atividade física diária”, diz Veloso.

Leia mais

Para corredor nem todo cachorro é pet

Constância e regularidade: os segredos da corrida

Empoderamento: premiação de homens x mulheres

Praticidade, companheirismo e união são alguns dos benefícios dos running strollers, mas o mais festejado por alguns pais é a possibilidade de embutir desde a infância a cultura esportiva nas crianças.

Um exemplo é o casal formado por Léo e Tayana Pontarolli, pais do Caique, dez meses de idade, que “corre” desde os quatro.

“Sempre utilizamos o ‘RS’ e o Caique gosta muito. Corremos com um objetivo diferente. Curtir e passar mais tempo com o filho, plantar a cultura da corrida e proporcionar à criança uma atividade ao ar livre e ambiente diferente”, festeja o casal Pontarolli, que no início do mês venceu uma corrida na cidade de Curitiba na categoria ‘running strollers’.

Os carrinhos de bebê esportivos são apenas um dos acessórios existentes para quem quer, ou precisa, aliar a prática esportiva ao convívio com as crianças.

“Nossa abrangência contempla toda uma linha infantil chamada AWK (active with kids), que contém cadeirinhas para bicicletas, mochilas transportadoras de bebê para trekking e bike trailers. Queremos incentivar que os pais pratiquem mais atividades com seus filhos e não ficamos restritos ao carrinho de corrida, sendo o  conceito muito mais amplo”, conta Giuliano Bertazzolo, da Thule.

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Harry Thomas Jr

Jornalista especializado em corridas de rua desde 1999, Harry competiu pela primeira vez em 1994 e desde então já completou 31 maratonas – sendo três sub 3 horas: São Paulo (2h59min30)... VEJA MAIS

Compartilhe por email!