Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Por que mulheres machucam mais os joelhos

Por que mulheres machucam mais os joelhos

As mulheres diferenciam-se fisicamente e fisiologicamente dos homens por uma série de fatores bem conhecidos, como uma quantidade maior de gordura localizada, menor proporção de massa muscular, ossos relativamente mais fracos e mais finos, tendões e ligamentos menos rígidos, são mais flexíveis, possuem seios, ovários, útero, produzem uma série de hormônios diferenciados, entre outras tantas diferenças. Mas, afinal, qual a relação de tudo isso com o fato delas sentirem mais dores nos joelhos em relação aos homens?

Existem diversos estudos na literatura científica mostrando que um dos principais componentes é anatômico. De modo geral, as mulheres possuem um quadril mais largo. Isso significa que a distância entre um quadril e outro é maior que nos homens. Considerando que o quadril, tecnicamente é a articulação da bacia com o osso de nossa coxa (o fêmur, um osso longo, que vai da bacia até o joelho), é de se imaginar que a distância entre a coxa do lado esquerdo em relação ao lado direito (e vice-versa) nas mulheres, deveria ser maior. Da mesma forma, a distância entre nossos joelhos e de nossos pés, afinal, estão todos diretamente ligados ao fêmur.

Mas são raríssimas as mulheres que andam com o tal afastamento entre as pernas e os pés. A grande maioria compensa este espaço maior entre os quadris, inclinando o fêmur para dentro, na tentativa de reduzir esta distância. Isso gera um ângulo no quadril, entre a linha do tronco e a coxa. Além disso, para compensar esta inclinação no fêmur, a tíbia (osso longo da perna) não acompanha a linha do fêmur (se acompanhasse, os pés ficariam se batendo), inclinando-se para fora, criando um outro ângulo no joelho, entre a coxa e a perna. Ou seja, quanto maior a distância entre os quadris, maiores serão esses dois ângulos de compensação.

Quando se forma um ângulo como esses no joelho, é natural que exista uma pressão maior em um dos lados (neste caso, acaba sendo primariamente no lado de fora) e da mesma forma, aumenta-se a tensão muscular no lado fora, para tentar manter este joelho no lugar “certo”. Somando esses dois fatores a prática de uma atividade física em pé, como correr ou simplesmente caminhar, é de se esperar que a força muscular necessária para manter esse “desalinhamento” sustentando o peso do corpo e ainda gerando movimento, seja ainda maior, exigindo muito mais tensão de músculos e resistência de ossos e articulações, como as do joelho e do quadril, machucando e provocando dores nas duas regiões.

Isso não quer dizer que elas não possam praticar atividades em pé. Apenas, significa que as mulheres, mais do que homens, precisam sempre manter um trabalho de fortalecimento de músculos do quadril e do joelho, para que eles mantenham essas duas articulações sempre estáveis e protegidas. Músculos fracos perdem a capacidade de proteção e sustentação dos ossos, sobrecarregando estruturas mais frágeis, como as cartilagens, gerando inflamações e dores.

O fato de serem desenvolvidas para a gestação fez as mulheres necessitarem de um espaço maior entre os ossos bacia, para fornecer conforto ao bebê, principalmente, nas últimas semanas de gestação. E por este motivo existe um conhecimento popular de que mulheres com “quadril largo” são boas “parideiras”. Agora cabe a estas, entender que ser um boa “parideira” também significa que precisa suar ainda mais a camisa para manter o corpo livre de lesões.

 

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Marcel Sera

Fisioterapeuta, palestrante e atleta amador! A ideia, aqui, é explicar como usamos e o que acontece com o nosso corpo em cada situação, ação e emoção de nosso dia-a-dia. Correr é uma... VEJA MAIS

Compartilhe por email!