Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Quando “menos é mais”

Quando “menos é mais”

Já te disseram que estar ciclista profissional é algo árduo, que requer muita dedicação, tempo, privações e uma vida saudável? Disseram também que todo esforço será compensado com vitórias, glórias, recompensas e reconhecimento? Isso posto, vemos que alguns ciclistas trabalham arduamente até alcançarem as suas metas, outros ficam pelo caminho por diversos motivos e que há aqueles que seguem mesmo sem condições e grandes aspirações.

Ok! Muitos sabem que a vida do atleta profissional é repleta de dificuldades e muita transpiração, antes das glórias. Independentemente da modalidade e das condições de cada ciclista, o alto rendimento exige muito esforço. É com esta interpretação que muitos ciclistas, amadores e profissionais, guiam seus treinos em busca de seus objetivos. Não estão errados em acreditar que há muita dedicação e entrega, que as vitórias muitas vezes serão acompanhadas de recompensas, que há sim percalços pelo caminho… Contudo, há um viés que tem surgido entre os ciclistas.

Dizer que é um trabalho árduo não significa que a “solução” para evoluir seja somente acumular horas, pois quantidade e qualidade não seguem juntos necessariamente. Não é regra que o ciclista que acumulou maior quilometragem será o atleta com mais resultados. Não é o ciclista que possui o maior número de intervenções em seus pós-treinos que, necessariamente, terá o melhor aproveitamento entre as sessões. Utilizar recursos como massagem, botas de compressão, aparelhos de eletroestímulo, acupuntura, crioterapia e outras técnicas é válido, mas isso não significa que a somatória será melhor que apenas uma ou duas partes. Em alguns momentos é de extrema importância que o organismo crie os seus próprios mecanismos de defesa e recuperação.

Neste sentido, a máxima que “menos é mais” se aplica perfeitamente. O segredo dos ciclistas profissionais – ou até a grande maioria dos amadores – que obtêm bons resultados é uma rotina bem definida. Não são somente os quilômetros, as horas, o esforço… Pois estes são pré-requisitos, juntamente com o que comprovadamente funciona.

Observe alguns bons atletas que estão ao seu redor e fique atento à sua rotina, treinos, ações e maneira de competir. Com o tempo você notará repetições de hábitos e comportamentos. E quanto maiores os resultados, mais direto serão os processos.

Diante disso, o recado é que o ciclista que almeja resultados maiores deve transpirar muito, ter uma rotina que seja eficaz, com elementos comprovadamente essenciais para o desempenho, e que seja de fácil e direta aplicação. Só assim você estará no caminho certo para as glórias do esporte.

Boas pedaladas!

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Helio Souza

É graduado em esporte e mestre em ciências pelo Instituto de Ciências Biomédicas da USP, pós-graduado em marketing e administração esportiva, e preparador físico de atletas de ciclis... VEJA MAIS

Compartilhe por email!