Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Treino funcional: faxina caseira!

Treino funcional: faxina caseira!

Sabe aquele momento que você dedica para uma arrumada na casa? Pode parecer piada, mas os movimentos e demandas físicas necessárias para a execução das tarefas básicas envolvidas nesta atividade servem como um treino funcional, tonificando e fortalecendo diversos músculos de nosso corpo, de forma que não estamos acostumados a utilizar em treinos na academia ou em outros locais específicos.

Vamos começar tirando o pó. A poeira fica acumulada em quase todos os lugares, exigindo malabarismos de nosso corpo, principalmente de nossos braços e punhos. Os movimentos para retirar estas pequenas partículas variam conforme o objeto que se utiliza (espanadores, pedaços de pano e aspiradores elétricos), mas de modo geral são necessários movimentos repetitivos, com angulações diferentes, de todas as articulações do membro superior. Rotações de ombro, flexão e extensão de cotovelos, desvios laterais de punhos, flexão de dedos e uma série de outros movimentos no ombro, coluna, quadril e pernas. Se utilizarmos apenas o pano, com movimentos rápidos (chicoteando as áreas empoeiradas), ainda temos um uso de fibras de contração rápida tanto para gerar o movimento como de frear o movimento no sentido oposto, exigindo muito mais controle de músculos do ombro, cotovelo e punho.

Agora, vamos passar um produto nos móveis, com outro pano, variando entre movimentos circulares e retos. Sugiro que tentem alternar, entre sentido horário e anti-horário, de um lado para o outro e de perto para longe, quando for possível, exigindo grupos musculares diferentes. Quando se realizam movimentos mais amplos e/ou mais vigorosos neste caso, é necessária uma contração mais intensa de músculos do tronco, como o das costas, do peitoral e os abdominais, para dar sustentação ao ombro e concomitantemente aos braços, punhos e dedos.

É hora de pegar a vassoura. Para varrer o chão, é importante manter uma certa pressão da vassoura contra o piso, criando um atrito com a superfície suja. O objetivo é acumular toda a sujeira em um único ponto, sendo necessários muitos movimentos de ombros e cotovelos, mas acima de tudo, de rotação da coluna torácica. O mecanismo ideal para varrer de um lado para o outro é aquele onde sentimos os músculos abdominais sendo utilizados para a função de rodar a coluna para direita e para a esquerda, levando naturalmente os ombros e braços de um lado para outro. Ou seja, para puxar a vassoura da direita para a esquerda, o abdômen contrai trazendo a ponta inferior das costelas do lado direito, em direção à coxa do lado esquerdo, deslocando seu ombro direito para o lado esquerdo. É um excelente exercício para o core, aumentando o gasto calórico local e afinando a cintura. Infelizmente, a maioria das pessoas contrai apenas os músculos das costas, sentindo dores ao final.

Finalmente, vamos passar um pano no chão com o rodo. Da mesma forma que a vassoura, o rodo também precisa manter uma pressão contra o chão, mas ela é maior e os movimentos são mais amplos, necessitando mais inclinação de nossa coluna e mais jogo de pernas. Passar o rodo pode ser comparado a um exercício de agachamento com avanço, com uma perna a frente da outra. O que difere é o fato de precisarmos de uma força considerável no abdômen, para manter os movimentos dos braços fazendo pressão contra o chão. Quando os braços se esticam e o corpo se curva para frente, os músculos abdominais devem ser alongados, aumentando a tensão sobre eles. Da mesma forma, os glúteos do lado da perna que está à frente também ficam alongados e tensos. Esses dois músculos em uma contração sincronizada, são os principais responsáveis pelos movimentos de avanço e recuo do corpo. Mas também é uma minoria que possui esta consciência, fazendo a maioria forçar as costas, ombros e coxas para esta tarefa.

Não podemos esquecer é claro, de outras tarefas clássicas, de maior exigência muscular, como carregar um balde cheio de água, levantar e arrastar sofás e camas, erguer objetos acima da linha da cabeça, etc. Todas elas, bem como aquelas que descrevi nos parágrafos acima, necessitam de músculos do corpo todo. Afinal, como sempre digo, não basta ter dedos fortes se a mão é fraca. Se não temos um punho firme, que depende de músculos do antebraço fixados no cotovelo, sustentado pelos ombros, estabilizados por músculos do pescoço, que faz parte da coluna, que está apoiada na pelve, que é influenciada pelos músculos do quadril, que estabilizam os joelhos, apoiados em ossos que vão até os tornozelos, que se estabilizam com músculos dos pés, que fixam os dedos!

Quem sabe agora, o dia da faxina passe a ser um dia para melhorar sua consciência corporal, ou mesmo associá-la a um dia de treino intenso, mais exigente, desafiador e por fim, mais divertido? Recrute sua esposa, seu marido, filhos, sogra, família e amigos. E bons treinos!

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Ativo.com

Sobre o autor

Marcel Sera

Fisioterapeuta, palestrante e atleta amador! A ideia, aqui, é explicar como usamos e o que acontece com o nosso corpo em cada situação, ação e emoção de nosso dia-a-dia. Correr é uma... VEJA MAIS

Compartilhe por email!