Guaíba recebeu Música Paratodos no domingo com apresentações gratuitas!

Atualizado em 29 de novembro de 2022
Mais em ATIVO

Música, diversão e muita diversidade com acesso gratuito em parques e locais públicos de grande circulação. Essa é a proposta do circuito Música Paratodos, patrocinado pela Toyota via Lei Rouanet de incentivo à cultura e que teve a sua última etapa no ano em Guaíba (RS), no dia 27 de novembro. 

Em seu primeiro ano, o Música Paratodos disseminou a música instrumental para o público, promovendo acessibilidade e diversidade, já que os eventos são gratuitos e de fácil acesso. O tema diversidade traz ao público, através da música, a riqueza cultural e de diversidade em gênero e raça do Brasil.

O evento em Guaíba foi realizado na Orla do Rio Guaíba e ofereceu apresentações abertas ao públicos, levando muita música e alegria para o dia a dia da população. Os espetáculos ao longo do ano combinaram diversos estilos musicais, como: Rock, Funk, Jazz, Reggae, Hip Hop, Folk, Disco, Soul, Blues e muito mais!

Programação

Esta foi a programação musical do evento, que recebeu mais de duas mil pessoas na Orla do Rio Guaíba em um domingo agradável!

14h – Flor ET

Uma banda que tem o rock e a cultura brasileira como ponto de encontro. Acreditam na arte como agente de mudança e, por esse motivo, as composições abordam temas existenciais, sociais e políticos.

16h – KIAI

KIAI é um grupo de música instrumental oriundo da cidade de Rio Grande – RS, formado no ano de 2014 e entre os principais objetivos do grupo, destaca-se proporcionar situações em que diferentes públicos tenham contato com a música instrumental, visando a possibilidade de levá-la aos mais variados locais.

17h – Ultramen

Banda brasileira formada em Porto Alegre em 1991, o grupo mistura vários ritmos, como rock, funk, rap, samba-rock, soul e reggae de maneira única, em um estilo muito particular e difícil de rotular.

18h30 – TEM

A banda explora uma nova formação composta por oito músicos e musicistas. As composições autorais seguem quebrando as barreiras da música instrumental clássica, convidando o público a arrastar as cadeiras e mexer o corpo em uma viagem interespacial.