Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Tour de France pretende abandonar uso das modelos nas premiações

A organização do Tour de France pretende acabar com o costume de ter hostesses entregando troféus e  beijinhos para os vencedores de cada etapa da competição, que este ano começa no dia 7 de julho. As chamadas podium girls eram consideradas uma “parte da atração” pelo tradicional público da prova – costume enxergado por muitos como machista e não-condizente com os dias atuais. A notícia foi dada ontem pelo jornal britânico The Times.

 

O ciclista belga Jan Bakelants no pódio, acompanhado por duas modelos

Nos últimos anos, a presença das modelos nos pódios vinha gerando polêmica. No pódio do belga Tour de Flanders em 2013, o tricampeão mundial Peter Sagan beliscou a modelo Maja Leye enquanto ela dava o tradicional beijo na bochecha no vencedor, Fabian Cancellara. Sagan publicou um pedido de desculpas após o incidente. 

Em 2015, o papel das podium girls voltou à discussão após comentários inapropriados do ciclista belga Jan Bakelants, que brincou sobre a possibilidade de as garotas terem doenças sexualmente transmissíveis. Perguntado sobre o que levaria na mala para as competições, ele respondeu “Um monte de camisinhas. Nunca se sabe onde as meninas estiveram“. 

 

Tendência 

 

Outras provas ciclísticas já tinham cedido à pressão popular e abandonado o emprego das modelos como ajudantes de palco para os vencedores. Em 2017, a Vuelta a España não contratou modelos para a função, substituindo-as por “homens e mulheres elegantemente vestidos”. O Tour Down Under, na Austrália, substituiu as moças por ciclistas mirins – em outro passo contra o machismo vigente, o Tour também anunciou prêmios igualitários para homens e mulheres a partir de 2019. 

O Tour de Flanders também anunciou que não empregará mais as “flower girls”, como eram conhecidas as ajudantes de palco – famosa após o episódio com Sagan, Maja Leye recebeu novo cargo, agora como mestre de cerimônias. 

Com o Tour de France seguindo a liderança da Vuelta (ambas organizadas pela ASO), faltará apenas o Giro d’Italia abolir a presença das modelos nos palcos. O diretor do Giro, Mauro Vegni, defendeu o emprego das modelos e chamou a decisão das outras provas de “moda passageira”

 

Leia mais

Prêmio feminino será igual ao masculino no Tour Down Under

Copa VO2 leva ciclistas de estrada para as subidas de Campos do Jordão

7 maneiras de escalar melhor

Calendário

Encontre um evento de bike perto de você!

excluir cat: nao, desativa sempre post: nao, ativa sempre post: nao
Compartilhe por email!