Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

De bike pelas serras do Sul

Muito além das belas paisagens, a região Sul do Brasil tem atrações, também, para explorar de bicicleta. Elas vão desde as serras até as paradas gastronômicas. São rotas com subidas íngremes e curtas, colinas longas e moderadas nas serras gaúchas, catarinenses e paranaenses. E, todas cercadas de belezas naturais. Entre as pedaladas, dá para recuperar o fôlego e repor as energias ao saborear os chocolates de Gramado (RS), os doces alemães de Morro Reuter (RS) ou até (para os “fortes”!) o típico Barreado de Morretes (PR). O que não faltam são opções para curtir a região. Confira algumas delas:

Serra Gaúcha: Estrada Romântica (de Novo Hamburgo a Gramado)
Localizada na Serra Gaúcha, entre as cidades de Novo Hamburgo e Gramado, a Estrada Romântica é ideal para aqueles que procuram belas paisagens, gastronomia diferenciada e pedaladas mais fortes. Após 42 km de carro de Porto Alegre até Novo Hamburgo, no Vale dos Sinos, pela Rodovia do Parque BR-448, a pedalada de 130 km começa. A primeira subida aparece no km 20, um trecho de 8,4 km com 5,26% de inclinação. Apesar de puxado, o percurso é recompensado pela paisagem “fora de série” e a sombra que um túnel verde faz na estrada, formado por árvores grandes de copas altas e largas.

Ao chegar na cidade de Morro Reuter, vale a pena fazer uma parada para conhecer o café e os doces alemães. Após o descanso, a Estrada Romântica segue rumo a Nova Petrópolis, em um trajeto com 18 km de descida lisa. Ao final da descida, surgem as subidas na serra até Gramado. A primeira tem 9, 89 km de extensão com 4, 87% de inclinação, enquanto a segunda, 7,4 km com inclinação de 4,01%.

Serra Catarinense: Morro da Igreja (entre Bom Jardim da Serra e Urubici)
São 240 km de carro de Florianópolis até Bom Jardim da Serra, o ponto inicial da rota. O objetivo é pedalar pela Serra Catarinense, entre Bom Jardim da Serra, Urubici até o Morro da Igreja, cartão postal da região e um dos lugares mais frios do Brasil. Em 1996, os termômetros marcaram -17,8°C naquela região. Por isso, não esqueça o agasalho e as luvas.

Após 3h30 de carro até Bom Jardim da Serra, a pedalada começa pela movimentada BR-282 e depois pela sossegada SC-430. São 72 km até Urubici para, logo depois, começar a subida ao Morro da Igreja. Mas, tome cuidado com uma descida íngreme e perigosa a 5 km de Urubici. Ao chegar em Urubici, pegue a avenida principal e, após o semáforo, faça uma curva à direita para a estrada rumo ao Morro da Igreja. Há sinalização pelo caminho, portanto, não tem como se perder. A partir dai, começa o trajeto mais intenso da rota. São 15,5 km de subida, com uma média de 5,4% de inclinação. Mas, existem rampas extremamente inclinadas, como no km 3, com 20% de inclinação. No km 14, as subidas acabam, mas cuidado com uma curva traiçoeira à direita, seguida de uma descida íngreme. No Morro da Igreja, a vista que se tem recompensa todo o esforço feito no trajeto final.

Dica: Cuidado com os ventos no início do percurso, pois dependendo da intensidade pode atrapalhar o passeio, tornando um obstáculo para pessoas mais leves. Não esqueça de levar agasalhos com cores vivas, que ajudam a proteger do frio e de motoristas desatentos. E tenha um carro de apoio durante o trajeto até o Morro da Igreja, pois recomenda-se usá-lo na volta. As rampas na descida do Morro são perigosas e muito íngremes.

Serra da Graciosa (PR) – (da ponte do rio São João até Morretes)
Também chamada de Rodovia PR-410, a Estrada da Graciosa tem 30 km, interliga Curitiba a Baía de Paranaguá e é bela e desafiadora. Um belo lugar para apreciar e descobrir as belezas da sauna e flora que fica nessa área preservada da Mata Atlântica.

O trajeto escolhido para o cicloturismo parte da ponte do rio São João até Morretes, com uma parada no mirante do Recanto Engenheiro Lacerda. São cerca de 45 minutos de pedalada nos 11,5 km de extensão com 6,5% de inclinação média, e máxima de 12,5%. Sem esquecer dos 7 km iniciais de paralelepípedos.

Fique atento às pedras no trecho de paralelepípedos, elas são ótimas para furar pneus. Porém, essa não é a parte mais intensa da rota. Se prepare para os últimos 4 km de serra e asfalto, pois é a parte de maior inclinação, chegando a 12,5%. No final da pedalada, em Morretes, aproveite para descansar e experimentar o barreado, prato típico da região.

Se você quiser prolongar a viagem e aproveitar para treinar, vá de Morretes a Serra do Mar. São 21,7 km com inclinação média de 4,13%, na BR 277, com veículos de resgate e muitas sinalizações, além de acostamento por toda a estrada.

Dica: comece cedo o percurso, pois a estrada é bem movimentada. E calibre os pneus em 80 e 90 libras para passar pela parte pavimentada da estrada.

 

Calendário

Encontre um evento de bike perto de você!

excluir cat: nao, desativa sempre post: nao, ativa sempre post: nao
Compartilhe por email!