Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

O que um ciclista come durante o Tour de France?

A dieta para um ciclista profissional que disputa o Tour de France, prova mais famosa do mundo, pode parecer, à primeira vista, especial e rigorosa. A verdade, no entanto, é que você se surpreenderia ao ver o que esses atletas comem; afinal, nem é tão diferente assim.

As maiores diferenças entre a alimentação de um atleta profissional e um ciclista amador estão no modo como a comida é feita e na quantidade ingerida. Profissionais evitam ao máximo comidas processadas e ingerem, aproximadamente, 5 mil calorias por dia – para uma pessoa de 80kg que tem um índice de atividade física intensa, o recomendado gira em torno de 3 mil calorias a cada 24 horas.

O primeiro exemplo que chama atenção é a presença do glúten no cardápio. Vários tipos de pães são feitos para o café da manhã e para os sanduíches comidos durante a prova pelos ciclistas. Além disso, o macarrão à bolonhesa é frequentemente presente nas refeições dos atletas após longas etapas.

Além do macarrão, o arroz é outro alimento bem comum. No ônibus, após o final da etapa, os ciclistas normalmente comem 300 gramas de arroz e 1,5 litro de suco de abacaxi bem diluído. Muitas vezes durante as etapas, eles recorrem a bolinhos feitos com o grão.

O café da manhã dos atletas costuma ser dividido em duas partes. A primeira tem cereais, aveia e smoothies de frutas. A segunda, três horas antes do início da etapa, é feita de arroz branco com pouca fibra e omelete.

Durante a prova, a nutrição de cada ciclista depende da recomendação da equipe e da preferência do próprio atleta. Alguns preferem tomar apenas água ou isotônicos, enquanto outros comem barras de cereais. Alguns atletas do pelotão podem até saborear um sanduíche de presunto dependendo do estágio do Tour de France.

 

Leia mais

"Vencer o Tour de France é o meu maior desafio", diz Froome

Froome cai e Kittel vence pela décima vez no Tour

Cavendish quebra clavícula e está fora do Tour de France após acidente

 

Em etapas de montanha, a alimentação sofre algumas alterações. Nem sempre ele conseguem beber as duas garrafas recomendadas por hora, principalmente se o clima está frio. Após uma prova com muita variação altimétrica, os ciclistas ingerem 40 gramas a mais de carboidrato em bebidas de proteína, utilizadas em suas recuperações.

Por último, o jantar. E ele é essencial já que é quando o atleta precisa comer o suficiente para a demanda do dia seguinte. A refeição costuma ter vegetais cheios de nutrientes e carboidratos e proteínas que são facilmente digeridos. Alguns exemplos de cardápios incluem salada de beterraba com maçãs raladas, brócolis e couve-flor assados, risoto de alho e carne de coelho com caldo de frango.

 

Calendário

Encontre um evento de bike perto de você!

Compartilhe por email!