Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Roupas leves e hidratação: a receita para não sofrer com o calor

Com um belo percurso, predominantemente na orla, a ASICS Golden Run Salvador foi moldada para ser agradável e rápida. Mas o forte calor soteropolitano é um aspecto que requer atenção especial dos corredores.

O treinador Ulisses Neto, da Authentic Run, uma das assessorias mais tradicionais da capital baiana, sugere que se olhe para as feras africanas que dominam o pódio de praticamente todas as provas importantes do mundo.

“Os quenianos, eritreus e etíopes usam sempre uma camiseta regata e aqueles shorts mais curtos. Ainda não inventaram nada melhor do que isso”, afirma o professor de Educação Física. “Se for usar regata, deve-se passar bastante filtro solar no corpo. A alternativa é vestir uma camiseta com mangas e proteção para os raios UVA e UVB”, acrescenta Ulisses.

O comerciário baiano Valdir dos Santos Landulfo, de 54 anos, corre desde 1986, época em que se usavam apenas as regatas e os shorts cavados.

“Eu me atualizei com o passar do tempo. Hoje opto pela bermuda de compressão, para poder carregar um pouco de grana, uns sachês de gel, às vezes até um copo d’água. Uso também camiseta com mangas curtas para me defender do sol”.

A atleta Verônica Lins, que corre há dez anos em Salvador, diz que a saída é aproveitar para pegar copinhos em todos os postos de hidratação. “Vou tomando de acordo com a sede. Pego copinhos em todos os postos. Nem sempre tomo, mas molho frequentemente a cabeça, a nuca e os pulsos”, diz.

A estratégia é aprovada por Ulisses. “Resfriar a temperatura do corpo é importante”, diz o treinador. Na ASICS Golden Run Salvador, haverá postos de hidratação nos kms 3, 6, 9, 15 e 18.

A respeito de hidratação, o treinador adverte quanto ao risco do excesso. “Tem gente que pega dois ou três copinhos d’àgua em cada posto. Quem faz isso corre o risco de ter hiponatremia. Exagerando nos líquidos, a concentração de sódio cai e você pode ter fadiga nas regiões periféricas do corpo, câimbras e cansaço geral”, explica.

Voltando às roupas, Verônica opta por top e regata. “No meio da prova, arranco a regata e fico só de top. Além disso, uso óculos escuros, viseira, muito protetor solar e uma bermuda com bolso lateral, onde guardo tâmaras secas e gel”, diz a experiente atleta local.

 

excluir cat: nao, desativa sempre post: nao, ativa sempre post: nao
Compartilhe por email!