Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Baropodometria: teste avalia o tipo de pisada

Foto: Pés com palmilhas/Shutterstock

Você já ouviu falar em um teste capaz de medir a forma como você se locomove e pisa no chão? A baropodometria é um dos métodos capaz de avaliar e apresentar um diagnóstico clínico sobre o seu tipo de pisada e medir a pressão dos seus pés para encontrar regiões de sub e sobrecargas.

“O teste é capaz de identificar erros de pisada, onde muita pressão pode estar sendo exercida em um ponto ‘errado’ do pé. Por exemplo, quando você corre o calcanhar deve ser a primeira parte a tocar o solo, depois a lateral do pé e depois o dedão, junto com o segundo dedo”, afirma o ortopedista Dr. Fabiano Gonçalves Cunha.

Pela baropodometria, podemos obter também informações sobre como é o nosso equilíbrio postural, se possuímos alguma compensação ao andar, identificar possíveis áreas de hiperpressão nos pés que causam dores, calosidades, fraturas por estresse e até mesmo como a passada influencia as regiões dos quadris, joelho e coluna.

Tudo isso é possível ser diagnosticado através do podômetro, um aparelho portátil formado por uma placa de várias dimensões e sensores capazes de representar o ciclo de uma marcha, o número de passos dado por uma pessoa ao caminhar e a pressão exercida nos pés quando parado.

Foto: Arthos Clínica

A partir disso, o exame é realizado com o auxilio de um profissional experiente neste tipo de avaliação. Primeiramente, o paciente é analisado parado em cima do podômetro, para verificar se os pontos de pressão no pé causam alguma alteração no equilíbrio postural que afete a musculatura e identificar o tipo de pé que a pessoa tem, podendo ser chato (a planta do pé é reta) ou cavo (a planta do pé tem o formato de um arco).

 

Após isso é feita a avaliação em movimento. O paciente começa a caminhar e o podômetro relata qual parte do pé toca o chão com maior pressão.  Dessa forma, é possível determinar o tipo de pisada que a pessoa tem, podendo ser neutra, supinada ou pronada, além de verificar se essa pressão afeta positiva ou negativamente as outras regiões do corpo como os quadris, os joelhos e a coluna. O teste leva em torno de 40 minutos para ser concluído.

Ao terminar o procedimento, todas as informações são coletadas pelo dispositivo e passadas para o computador que irá formular o resultado por meio de gráficos ou planilhas. Com base nisso, o especialista confirmará qual é o procedimento a ser tomado pelo paciente caso ele apresente alguma alteração.

“Com o teste, conseguimos avaliar se existe alguma anormalidade na pisada e que possa ser corrigida com palmilha, um tênis mais adequado ou com fisioterapia em casos mais graves”, conclui o ortopedista.

Leia mais

PRP: tratamento com plaquetas para lesões ainda não é autorizado no País

5 dicas de como proteger a pele durante a corrida

Hoffite, a inflamação inimiga dos corredores: o que é, sintomas e como tratar

Fontes

Dr. Fabiano Gonçalves Cunha – ortopedista do Hospital Santa Paula

Dr. Flávio Cruz – Ortopedista, especializado em traumatologia desportiva e cirurgia do joelho

 

 

Calendário

Encontre um evento de corrida perto de você!

Clube O2

Clube O2 + Mochila de Hidratação!

excluir cat: nao, desativa sempre post: nao, ativa sempre post: nao
Compartilhe por email!