Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Desaquecimento: é realmente necessário?

Você já se perguntou se desaquecer é realmente necessário para otimizar o seu desempenho na corrida de rua? A resposta é simples: sim. Ele é muito importante, mesmo você sendo novato no esporte. Após o treino, o desaquecimento ajuda na recuperação do sistema cardiorrespiratório, para que ele volte a sua função normal. Com isso, o seu corpo entende que pode voltar à calma e começa o processo de recuperação muscular, essencial para que o seu organismo evolua nas passadas.

É nesse contexto, aliás, que há a baixa na frequência cardíaca e a diminuição da função pulmonar, além do reestabelecimento da pressão arterial. Ou seja, você não pode deixá-lo de lado em nenhum treino.

Tão importante quanto o aquecimento (que prepara a musculatura para o início das passadas), o desaquecimento deve ser realizado com a diminuição gradativa do ritmo, assim como você pode fazer sessões de alongamento e de massagem. Tudo para que a recuperação do sistema cardiorrespiratório seja eficiente. Como o fluxo sanguíneo ainda está aumentado devido ao uso dos músculos solicitados na corrida, você precisa desacelerar de forma gradual para evitar dores e otimizar a recuperação.

leia-mais-cinza
icon texto_menor  FAÇA ALONGAMENTOS MAIS PROVEITOSOS
icon texto_menor  EM QUANTO TEMPO OS RESULTADOS APARECEM?
icon texto_menor  COMO AQUECER COM UM TROTE LEVE

Como desaquecer?
O objetivo dessa rotina de desaceleração e recuperação é retornar o corpo ao seu estado de repouso, expulsando os resíduos que não fazem bem e que são produzidos durante a corrida (como o ácido lático), além de manter a função muscular saudável. Uma ótima maneira de esfriar o corpo e ainda ganhar rendimento é seguir os seguintes passos:

Passo 1: trote ou caminhada
Para iniciar o processo de resfriamento, é importante que você faça um movimento fácil. Para os corredores mais rápidos é indicado o trote, para os mais lentos, uma caminhada já resolve.

Passo 2: hidrate-se
O próximo passo é se hidratar e repor o glicogênio muscular para ajudar na reparação muscular. Tome, ainda, a proporção de quatro carboidratos para um de proteína, dentro de 30 minutos após o treino.

Passo 3: tome um banho de água fria
A medida facilita a remoção dos resíduos metabólicos, uma vez que provoca vasoconstrição, melhora o fluxo de sangue, e pode acelerar a taxa de recuperação. O objetivo é acelerar a taxa de recuperação, para que você possa otimizar o seu desempenho e diminuir o potencial de lesões.

(Fonte: Professor Leandro Conte, Academia Fórmula, São Caetano do Sul – São Paulo)

Calendário

Encontre um evento de corrida perto de você!

excluir cat: nao, desativa sempre post: nao, ativa sempre post: nao
Compartilhe por email!