Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

3 exercícios de fortalecimento que podem não ser tão úteis para a corrida

Foto: Shutterstock

Exercícios de fortalecimento são benéficos para os músculos, não importa o esporte que você pratica. Entretanto, se você corre, já deve ter consciência de que não basta apenas ter músculos fortes. Por ser uma atividade alto impacto, a corrida exige outros tipos de exercícios, como os de mobilidade, coordenação e educativos, aliados aos treinos de fortalecimento. Este trabalho integrado não garantirá apenas um corpo forte, mas mais preparado para desempenhar a mecânica ideal durante a corrida.

Sim, executar corretamente o movimento da corrida faz toda a diferença na performance, no rendimento e na incidência de lesões, sem falar na economia de energia para os treinos. 

E, alguns exercícios de fortalecimento que você faz na academia, podem não estar ajudando seu corpo a render mais; segundo Leandro Pessoa, da LPO Assessoria Esportiva, talvez estejam ajudando você a ficar com os músculos mais desenvolvidos, e só. “Evite os exercícios monoarticulares, aqueles que envolvem só um tipo de articulação. Flexionar apenas uma articulação não é funcional para quem corre. Não é que não ajudam a fortalecer, mas, mais do que ficar forte, o corredor precisa investir em um treino de força que também trabalhe a mobilidade e a forma de correr”, justifica o treinador.

 

Alguns exercícios de fortalecimento que não ajudam nem atrapalham, segundo Leandro:

 

  1. Cadeira flexora ou cadeira extensora: essas máquinas estão na planilha de treino da maioria dos frequentadores de academia. Só que o corpo fica sentado ou deitado, e a pessoa fica “chutando”  para cima, dobrando ou esticando as pernas. “Por exemplo, na cadeira extensora, o movimento é levantar a perna, estender o joelho e descer. Para mim, esse é um movimento bem desnecessário. Trabalha a contração muscular focando a fase concêntrica e é monoarticular”, opina Leandro. 
  2. Leg press: mesma lógica acima, com ênfase nas coxas.  
  3. Gêmeos (panturrilha sentado): outro tipo de movimento monoarticular. Você se senta na cadeira e trabalha só uma articulação no movimento, levantando e descendo os pés para trabalhar as panturrilhas.

 

“Estes exercícios que citei acima são mais indicados para fisioterapia específica, para um fortalecimento isolado. Recomendaria, por exemplo, para um atleta que possui um lado mais forte do que o outro, como um jogador de tênis”, continua o treinador.

 

Aposte 

O ideal é investir no fortalecimento que envolva uma cadeia geral ou mais de uma articulação no movimento. Agachamento é um exemplo bom de exercício para corredores. Abrange do tornozelo, joelho ao quadril (3 articulações). Outros como afundo e saltos na caixa podem ser feitos na academia ou em outro local, com ou sem o uso de pesos.

Por isso, ao elaborar sua planilha de treino de força, lembre-se: o ideal, sempre, é buscar exercícios que misturem mobilidade, coordenação e força.

“Um bom treino de força para o corredor é agachar, pular, saltar, fazer flexão, barra fixa, levantamento de peso olímpico sem peso nas costas. E por aí vai. Quanto mais o movimento do exercício envolver mais de um grupo muscular ou articular, melhor será para a corrida”, finaliza.

 

Leia mais

10 aplicativos fitness para o seu treinamento

22 dicas para melhorar a resistência na corrida

3 exercícios de fortalecimento do core que ajudam na corrida

 

 

 

Calendário

Encontre um evento de corrida perto de você!

excluir cat: nao, desativa sempre post: nao, ativa sempre post: nao
Compartilhe por email!