Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Neve, gelo e… corrida. Atletas resistem à onda de frio nos EUA

Foto: Reprodução/Instagram

Enquanto os corredores brasileiros lutam contra o forte calor, os atletas amadores norte-americanos se desdobram para conseguir correr em meio à mais forte onda de frio das últimas décadas.

O vórtice polar, uma massa de ar gelado semelhante a um ciclone, pode fazer as temperaturas chegarem a até -53º C em algumas regiões.

Segundo o Serviço Nacional de Metereologia dos Estados Unidos (em inglês, NWS), há a possibilidade de uma pessoa congelar em menos de 10 minutos ao ficar ao ar livre nessa temperatura.

Chicago, por exemplo, registrou temperaturas mais baixas que o Everest e a Antártica. Na quarta-feira, os termômetros marcaram – 30º C e a cidade foi coberta pela neve e pelo gelo.

Mesmo assim, o amor pela corrida vem falando mais alto para alguns moradores da Windy City (em português, Cidade dos Ventos), como Chicago é conhecida.

Nas redes sociais, pipocam imagens de atletas amadores de Chicago se exercitando ao ar livre. As fotos geram um misto de sentimentos: ao mesmo tempo em que causam apreensão, é curioso observar como os fãs de corrida parecem não se importar com barbas e cabelos congelados, além das roupas pesadíssimas, que mais parecem vestimentas de esqui. Teve até quem levasse o cachorro para essa “fria”…

Leia mais

Lobos, aurora boreal e atropelamento: um baiano em uma ultra no Alasca

Corredora encontra filhote abandonado e faz maratona com ele no colo

Baiano vai ao Alasca por ultramaratona com 320 km e frio de -60ºC

… e a barba deste corredor corajoso

3.700 dias de corrida

Um dos casos mais emblemáticos de amor pela corrida em Chicago é o do autônomo Perry Romanowski, de 49 anos.

O frio, a neve e o gelo não impedem que ele saia para correr todos os dias (sem exceção!) há mais de dez anos.

Romanowski treina diariamente desde 18 de novembro de 2008, totalizando mais de 3.700 treinos consecutivos.

Até a onda de frio atingir Chicago, ele não corria menos de duas milhas, o equivalente a 3.2 km, por dia.

Com as condições desfavoráveis, foi obrigado a diminuir o ritmo, passando para 1.5 milha (cerca de 2.4 km) nesta semana.

“Hoje foi um verdadeiro desafio, mas eu consegui correr duas milhas”, afirmou Romanowski na quarta-feira ao site canadense Running Magazine.

Embora o volume de treinos atual seja pequeno, ele está acostumado a correr longas distâncias.

Em outubro de 2018, o autônomo correu a sua 19ª edição da Maratona de Chicago. No total, ele tem 41 maratonas disputadas.

Para Romanowski, nunca há tempo ruim quando o assunto é corrida

Clube O2

Garanta sua mochila exclusiva do Clube O2

excluir cat: nao, desativa sempre post: nao, ativa sempre post: nao
Compartilhe por email!