Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Maquiagem para a prática esportiva faz mal? Especialistas explicam

Na edição de março, mostramos que as mulheres estão dominando o asfalto a cada ano que passa. A maioria delas é vaidosa: não abre mão de um look especial e da maquiagem para treinar ou correr uma prova. Se você é do time que não sai pra correr sem antes passar pelo menos um rímel nos olhos, eis uma boa notícia: a maquiagem para a prática esportiva não faz mal para a pele, segundo a dermatofuncional Katia Pacheco. O que realmente importa é o modo como você remove o cosmético.

Limpeza caprichada
Se não houver cuidado com a etapa de limpeza, pode ocorrer obstrução dos poros, que causa cravos e espinhas. E não para por aí: no longo prazo, o acúmulo de resíduos de maquiagem pode acelerar o
processo de envelhecimento, resultando em rugas, flacidez e perda de viço. Katia explica o passo a passo: lave o rosto com água e sabonete indicado especialmente para o rosto; após a lavagem,
escolha um demaquilante para o seu tipo de pele — ele serve para retirar o restinho da maquiagem que o sabonete não consegue remover. As versões em creme, gel, loção ou espuma são ideais para resíduos leves. Já a bifásica é indicada para tirar maquiagens mais pesadas, como bases de alta cobertura e
rímel à prova d’água. Finalize aplicando um tônico ou hidratante para deixar a pele com um brilho natural e saudável.

De olho nas letrinhas
Mesmo que a maioria dos cosméticos de maquiagem não prejudique a pele, Katia chama a atenção para alguns componentes nos rótulos. O chumbo é um deles e está presente em batons e esmaltes geralmente produzidos na China.

A substância pode causar dores de cabeça, irritações nos olhos e na pele, tremores, alucinações, diarreia e até ser responsável pela formação de tumores, segundo a dermatofuncional. A especialista também alerta para o uso de outro componente, os parabenos. “São perigosos para mulheres, já que imitam
o hormônio estrogênio no corpo e são considerados cancerígenos.”

Corina Cunha, farmacêutica e uma das criadoras da marca esportiva de cosméticos Pink Cheeks, dá um toque sobre a presença de outras substâncias que podem ser nocivas — principalmente as da classe dos parabenos e liberadores de formaldeído. Esses ingredientes possuem alto potencial para causar reações alérgicas.

Protegida do sol
Ana Cecília Versiani, dermatologista do Dr. Consulta, explica que o protetor é um item que não pode faltar no nécessaire das corredoras. Ela recomenda aplicar o produto 20 a 30 minutos antes de sair de casa, mesmo que o dia não esteja ensolarado. “Opte por protetores de fator 50 que sejam resistentes à água e sem álcool na formulação”, lembra Ana.

Sem incômodos
Outra dica da farmacêutica Corina é preferir produtos de fácil aplicação, de consistência leve e pouco oleosa, para não deixar a pele desconfortável durante o treino. Se você não abre mão de uma corzinha na cútis, aposte nos BB Creams ou protetores com cor, mas que sejam à base de água para não melecar a pele, o.k.?

Calendário

Encontre um evento de corrida perto de você!

Clube O2

Economize nas provas e escolha seu frequencímetro!

excluir cat: nao, desativa sempre post: nao, ativa sempre post: nao
Compartilhe por email!