Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Rabdomiólise: exagero nos treinos pode causar o problema

Foto: Rabdomiólise

Rabdomiólise é um nome estranho para um problema de saúde bastante grave.

O nome da patologia (rabdo significa estriada, mio musculatura e lise destruição) faz menção à “destruição” da musculatura estriada, que pode acontecer pela prática excessiva de atividades físicas de alta intensidade.   

No entanto, é importante ressaltar que a rabdomiólise não é exclusivamente causada pelo esforço físico exagerado.

Ela também pode ser desencadeada pelo consumo de drogas, infecções, medicações e acidentes que provoque esmagamento muscular.

“No caso da atividade física, o que acontece é uma lesão direta ou indireta no músculo esquelético. Isso causa a destruição das células musculares e liberação dos conteúdos das substâncias intracelulares na corrente sanguínea. Esse rompimento resulta em alterações eletrolíticas, que envolvem os sais do sangue e o aumento da proteína muscular na circulação. Esse aumento é chamado de mioglobina e gera diversos distúrbios”, explica Victor Zia, médico oncologista da Clínica de Oncologia Médica (Clinonco) e membro da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC).

A rabdomiólise pode acontecer em qualquer idade e, geralmente, a principal complicação que pode causar é a insuficiência renal.

O processo acontece por causa da liberação do conteúdo das células musculares na circulação sanguínea, que leva ao entupimento dos túmulos renais, que desencadeiam na insuficiência renal.

Leia mais

Os benefícios do treinamento resistido para corredores

PNL para corredores, uma aliada do desempenho

5 exercícios para fortalecer a coluna e melhorar sua corrida

Sintomas da rabdomiólise

Seus sintomas são um pouco vagos e podem passar despercebidos. Por exemplo, fraqueza ou dores musculares após um exercício físico extenuante, mas nada muito específico.

Para fechar o diagnóstico, o médico solicita um exame que analisa a substância de uma proteína do sangue chamada CPK (creatina fosfato quinase).

“É uma proteína que fica dentro das células musculares. Quando rompidas, caem na circulação e é possível detectá-la no sangue. Se o resultado apontar uma amostragem elevada, acima de 500 ou mil, caracteriza-se a rabdomiólise”, explica Zia.

O tratamento

Geralmente recomenda-se a hidratação venosa. O paciente precisa ficar internado para receber soro fisiológico em alta quantidades.

No entanto, se o rim já estiver com suas funções comprometidas, são necessárias outras alternativas.

“A hemodiálise ou terapia de substituição renal seriam os últimos tratamentos sugeridos para a complicação”, finaliza Zia.

Calendário

Encontre um evento de corrida perto de você!

Clube O2

Combo 2 em 1 Clube O2

excluir cat: nao, desativa sempre post: nao, ativa sempre post: nao
Compartilhe por email!