Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

O que separa um atleta Scale de um RX? Coach explica

Em todos os campeonatos de crossfit encontramos as categorias Scale e RX. Certas vezes, há outras variações como iniciante ou elite. Mas a dúvida que sempre fica na cabeça é: o que separa um atleta do outro?

Não há uma regra que determine um limite entre as categorias. Na maioria dos casos, alguns movimentos mais complexos não são exigidos para competidores Scale, enquanto para os RX (mais avançados) estão sempre presentes: muscle up, agachamento pistol e HSPU são exemplos claros.

Mas para alguns coaches e organizadores de eventos, outros movimentos não tão básicos como double under e pé na barra devem ser cobrados já no Scale. É aí que a discussão começa. Para o coach da CrossFit Cidade Jardim, Caio Revite, a nomenclatura é só uma particularidade.

“Talvez o Scale para mim não seja o Scale do outro e vice-versa. As pessoas registram o nome e acham que todos os torneios serão iguais”. O treinador ainda deu uma dica: “Leiam os requisitos, eles mudam de torneio para torneio.”

 

Leia mais

Sapatilhas de LPO: saiba quando usar no WOD

20 dicas para sua primeira competição de crossfit

Carga ou cardio? Por que o equilíbrio é essencial

 

Um bom exemplo foi o segundo WOD do Open do CrossFit Games de 2017. No 17.2, o movimento de pé na barra (toes to bar) era uma exigência da categoria RX, mas não era cobrado para os atletas Scale, que faziam apenas a elevação dos joelhos em direção ao peito.

Para Caio Revite, organizador de campeonatos e atleta da modalidade desde 2011, é comum a variação dos movimentos.

“Isso se dá na visão de cada responsável pela montagem das provas. Alguns dão preferência aos iniciantes, outros aos intermediários e avançados. Sendo assim, cada torneio tem sua particularidade e isso se torna interessante para os atletas testarem seu condicionamento em cada um deles”, afirmou o coach.

Revite finalizou lembrando que, no caso do CrossFit Games, o campeonato é voltado para atletas de alto rendimento, diferente do que acontece no Brasil.

“A maioria das pessoas que participa desses eventos por aqui não são atletas, não vivem disso e estão ali para se divertir. Concordo em termos uma coerência dos requisitos de cada categoria, seja ela qual for, e que cada um tenha o domínio de cada movimento exigido para não colocar sua integridade física em risco”.

Calendário

Encontre um evento perto de você!

Compartilhe por email!