Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Brasil começa Mundial de piscina curta com bronze

Foto: Satiro Sodé/CBDA

Foi chorada, suada e sofrida, mas a primeira medalha do Brasil no Campeonato Mundial de piscina curta de Hangzhou saiu já no dia inicial de provas. O quarteto brasileiro formado por Matheus Santana, Marcelo Chierighini, Cesar Cielo e Breno Correia superou na batida de mão o time italiano e por apenas cinco centésimos levou a medalha de bronze na prova do 4x100m livre.

O Brasil já havia avançado para a final com o terceiro tempo nas eliminatórias e sabia que seria difícil superar americanos e russos. A briga seria contra a Itália pelo terceiro lugar. E essa briga foi intensa, braçada a braçada, com Breno levando a melhor sobre Lorenzo Zazzeri nos metros finais.

No fim 3min05s15 dos brasileiros contra 3min15s20 dos italianos. Uma medalha bastante celebrada por toda a equipe, e ainda mais por Cesar Cielo, que com o bronze se tornou o maior medalhista do Brasil em Mundiais de piscina curta, superando Gustavo Borge.

A luta pelo ouro também foi acirradíssima com os Estados Unidos batendo a Rússia por oito centésimos: 3min03s03 contra 3min03s11. A marca dos americanos foi ainda novo recorde mundial na distância estabelecido por Caeleb Dressel, Blake Pieroni, Michael Chadwick e Ryan Held.

Na prova feminina os Estados Unidos também triunfaram com Olivia Smoliga, Lia Neal, Mallory Comerford e Kelsi Dahlia superando as holandesas e conquistando o ouro com 3min27s78. A China levou o bronze.

Os brasileiros também passaram perto do pódio em outras duas provas. Nos 200m medley, Caio Pumputis e Leonardo Santos estiveram no bolo dos atletas que brigavam por pódio, mas cansaram na última parcial e ficaram em quinto e sexto, respectivamente, com 1min53s05 e 1min53s38. O ouro foi do chinês e ídolo local Shun Wang com 1min51s01.

Outra prova que poderia ter dado pódio ao Brasil foi os 200m borboleta com Luiz Altamir começando forte, passando inclusive abaixo do recorde mundial nas primeiras parciais, e finalizando em sexto lugar com 1min51s99. O titulo ficou com o japonês Daiya Seta que bateu a marca mundial com 1min48s24.

Caio Pumputis – Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Outra final com presença do Brasil foi os 400m livre masculino. Fernando Scheffer brilhou nas eliminatórias ao conseguir o terceiro melhor tempo e bater o recorde sul-americano na distância com 3min39s10. Nadando na raia 3 Scheffer abriu a prova muito forte, mantendo-se na segunda colocação até próximo dos 150 metros.

Só que o cansaço bateu e ele acabou perdendo posições fechando na oitava posição. O tempo porém foi comemorado pelo nadador: 3min39s40, novamente abaixo dos 3min40s. A medalha de ouro ficou com o lituano Danas Rapsys, que bateu o recorde de campeonato com 3min34s01.

Quem também brilhou neste primeiro dia foi Guilherme Guido. O nadador não quis saber de brincadeira e começou sua campanha nos 100m costas batendo o recorde sul-americano nas eliminatórias com 49s57 e avançando com o melhor tempo. Nas semifinais foi ainda melhor: 49s45, nova marca continental e passagem para a final com o segundo melhor resultado, atrás apenas do chinês e recordista mundial Jiayu Xu com 49s21. Guilherme Basseto também nadou a semifinal e terminou em 13º lugar com 50s83.

Guilherme Guido – Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Por outro lado, quem não conseguiu avançar para a final foi uma dupla bastante experiente. João Gomes Júnior e Felipe Lima ficaram longe de suas melhores marcas e de quebra da grande final dos 100m peito. Com os tempos de 57s26 e 57s30 respectivamente, João foi o 11º e Felipe o 12º da semifinal.Agora a atenção da dupla se volta para os 50m. A final promete ser bastante disputada com nomes como Fabio Scozzoli, Kirill Prigoda, Cameron van der Burh e Yasihuro Koseki.

 

João Luiz Júnior – Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

 

Calendário

Encontre um evento de natação perto de você!

excluir cat: nao, desativa sempre post: nao, ativa sempre post: nao
Compartilhe por email!