Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Ginseng: entenda os benefícios da raiz para quem corre

Foto: Shutterstock

Você já pode ter ouvido falar – em algum programa de TV ou anúncio publicitário na internet – dos benefícios que o ginseng pode trazer à saúde. Mas você sabia que o consumo da raiz também pode ajudar a melhorar a sua corrida?

Por meio de estudos foi observado que o ingrediente estimula os efeitos ergogênicos do corpo, que são capazes de melhorar a performance durante as atividades esportivas.

“Alguns ensaios clínicos mostraram que pessoas que usaram dosagens menores ou iguais a 200 mg/dia da raiz em pó tiveram melhora na função cardiorrespiratória e reduziram as concentrações de lactato sanguíneo, consequentemente, melhorando o desempenho físico”, explica Clarissa Hiwatashi Fujiwara, nutricionista e membro do Departamento de Nutrição da ​​Associação Brasileira ​para o​ Estudo da Obesidade ​e da Síndrome Metabólica​ (ABESO).

“Em outro estudo, o uso de ginseng em comparação ao placebo, aumentou o consumo máximo de oxigênio (VO2max), com aumento na força muscular”, complementa.

Ainda dentro do contexto de atividade física, o ginseng apresenta possível efeito benéfico no sistema nervoso central, fazendo com que o cérebro tenha maior estado de alerta e retardamento da percepção de fadiga.

Leia mais

Ginseng: entenda os benefícios da raiz para quem corre

Pré-treino natural: alimentos que funcionam como termogênicos

Receita de suco para aumentar a imunidade

Mas os benefícios do ginseng não param por aí. Por conter saponinas, tem ação anti-inflamatória, e alguns estudos acerca de potenciais efeitos no sistema imunológico e sistema nervoso central indicam melhora na consolidação de memória e redução de danos a neurônios associados a processos isquêmicos, e algumas doenças neurodegenerativas, como, por exemplo, Parkinson.

Consuma o ginseng com moderação

De acordo com a nutricionista, para evitar o risco de hipoglicemia, pessoas que usam medicamentos para diabetes devem monitorar os níveis de açúcar no sangue ao usar o ginseng. O consumo excessivo pode ainda reduzir a eficácia dos medicamentos anticoagulantes, como a varfarina.

“Devido à falta de estudos seguros, o ginseng não é recomendado para criança, gestantes ou mulheres que estejam amamentando. Algumas outras contraindicações também devem ser consideradas, como pacientes que apresentem hipertensão arterial ou façam terapias estrogênicas. A superdosagem pode levar à chamada ‘síndrome de abuso do ginseng’, que causa sintomas como insônia, euforia e nervosismo”, afirma a nutricionista.

Clube O2

Garanta sua jaqueta do Clube O2

excluir cat: nao, desativa sempre post: nao, ativa sempre post: nao
Compartilhe por email!