Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

Tendências da nutrição para 2017

Foto: Shutterstock

Quando falamos de tendências da nutrição e da alimentação saudável, podemos resumir 2016 em proteínas, dieta paleolítica e alimentos nacionais, regionais e mais baratos. O ano de 2017 mal começou e já sabemos quais serão os “trends” da nova temporada, aquilo que está na moda por fazer bem à saúde: proteínas vegetais, uma alimentação baseada em frutas, legumes, verduras e gorduras boas.

O debate sobre as tendências da nutrição aconteceu durante a  Food and Nutrition Conferece and Expo  (Conferência e Exposição sobre Alimentação e Nutrição), em outubro de 2016, em cima de estudos científicos, apresentações acadêmicas, livros e painéis de discussões com mais de 10.000 especialistas no assunto.

Assim como toda ciência, a nutrição está em constante transformação. Antes dos anos 2000, a “tendência” era não consumir alimentos gordurosos, cheios de colesterol. Hoje, o açúcar e os industrializados ocupam este papel. Antes, o ovo era um dos grandes vilões, e comidas light e diet eram vistas como saudáveis. Hoje, o jogo mudou. O mesmo aconteceu com os óleos, o glúten, a lactose, os industrializados… o segredo é se informar sobre os recentes estudos e descobertas, mas também experimentar. Quando falamos de alimentação, não existe uma regra.

 

Leia mais

Amaranto: fonte de proteína vegetal

"Remédio no prato": receitas com superfoods

Superalimentos para quem corre

 

Conheça as tendências da nutrição para 2017 e alimente-se para viver mais e melhor:

A “nova quinoa”: sorgo

Para competir de igual para igual com a quinoa, agora é a vez do sorgo, um grão integral livre de glúten que já virou moda entre a turma saudável. Dá para fazer pipoca, como se fosse milho, e a farinha pode ser usada em muitas receitas, doces ou salgadas. E outra boa notícia, dá para plantar em casa também.

Por que será uma das tendências da nutrição? O sorgo é uma excelente fonte de fibras e um dos grãos ricos em proteínas. É também uma fonte de construção óssea, por ser rico em magnésio e fósforo, e ferro, além de vitaminas do complexo B (niacina e B6), responsáveis por converter o alimento em energia para o organismo. E a demanda por opções sem glúten, alimentos locais e ricos em fibras irá continuar em 2017.

Grãos germinados e brotos
A ideia é germinar tudo que é vivo: sementes, nozes, feijões e grãos. E dá para fazer você mesmo, em casa. Basta saber o tempo de germinação de cada grão, feijão, noz ou sementes que irá preparar e germinar antes de consumir.

Por que será uma das tendências da nutrição? Germinar os grãos aumenta o valor nutricional dos alimentos de origem vegetal. Quando as sementes germinam e emergem, alguns dos amidos são consumidos e isso resulta em uma maior proporção de fibras e proteínas no alimento. Além disso, a germinação desativa alguns antinutrientes como o ácido fítico, e isso faz as proteínas e minerais serem absorvidos pelo organismo mais facilmente. Mas, ao esquentar, aquecer ou cozinhar, perde-se esse poder todo. Mesmo assim, se se você comparar um pão integral com um pão feito com grãos germinados, o segundo aumentará a quantidade de hormônios responsáveis por incrementar a saciedade e diminuir a quantidade de açúcar circulando no sangue.

Fontes de proteína vegetais
É hora de comer legumes! Proteínas vegetais como feijões, ervilhas, lentilhas e grão de bico não são novidades. O que é uma das tendências da nutrição para 2017 é inovar nas receitas e descobrir novas formas de consumo além do hummus e da sopa de lentilhas. Hambúrgueres, risotos e outras receitas ricas em proteínas vegetais estarão em alta neste ano.

Por que será uma das tendências da nutrição? De acordo com  um novo estudo de pesquisadores de Harvard e de Massachusetts,  comer mais proteína vegetal e menos proteína animal pode colaborar para uma vida mais longa e saudável. Além disso, proteínas vegetais são sustentáveis, acessíveis, nutritivas e versáteis em diversas receitas. Nos EUA, várias marcas já comercializam snacks e lanches feitos com legumes tostados, como o grão-de-bico e feijões. Por aqui, algumas marcas, como a Flormel,  já vendem alguns desses snacks de proteína vegetal, rico em fibras e com poucas calorias.

Gorduras boas
Gorduras são essenciais para nos sentirmos satisfeitos, melhoram o paladar, são fonte de energia e necessárias para absorver algumas vitaminas (D e K). Já sabemos que as gorduras saudáveis, como ômega 3 e gorduras monoinsaturadas também promovem mais saúde para cérebro e coração. Mas até as gorduras saturadas, encontradas nos laticínios e antes consideradas ruins para a saúde estão sendo repensadas como tendências da nutrição para 2017, em novas formas de consumo.

Por que será uma das tendências da nutrição? A gordura do leite integral contém naturalmente ácidos graxos trans, como o ácido linoleico conjugado (CLA).  Uma pesquisa recente sugere que o CLA do leite diminui o risco de desenvolver doenças cardíacas e prevenir o câncer. Algumas marcas já estão começando a oferecer mais opções de laticínios na versão integral, em vez de produtos light ou diet. Além disso, deve aumentar a quantidade de marcas que oferecem produtos orgânicos ou com mais cuidado ao tratamento dos animais para atender a demanda de consumidores que buscam essas garantias.

 

 

 

Clube O2

Economize e leve um Super Combo!

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Compartilhe por email!