Receba nossa newsletter e fique por dentro do mundo do esporte!

PUBLICIDADE

Crossfit é ‘rival’ da musculação? Ouvimos os dois lados para esclarecer

Com 882 unidades, o Brasil é o segundo do mundo em número de boxes de crossfit atrás apenas dos EUA, com mais de 7 mil unidades oficiais. Considerada recente, a modalidade ganha cada vez mais adeptos do mundo fitness.

Mesmo sendo mais dinâmico, coletivo e competitivo, a modalidade convive com diversas comparações e enfrentamentos no mundo fitness, especialmente quando colocado “frente a frente” com a musculação. Mas essas práticas competem ou podem se completar?

O WOD News esteve na 18ª IHRSA Fitness Brasil, conferência internacional voltada para profissionais de academias, ouviu a opinião dos representantes das grandes redes de academias brasileiras e tirou a dúvida: o crossfit compete com a musculação?

 

Leia mais

Crossfit causa lesões? Especialista derruba mitos

Veja 5 fotos de mulheres atletas antes e depois do crossfit

Moda passageira? O que as grandes academias pensam sobre o crossfit

 

“Eu acredito que as duas modalidades podem ser trabalhadas simultaneamente”, afirma Lucas Coelho, representante da RAE Store, fornecedora de equipamentos e acessórios para crossfit.

“O crossfit eu vejo como um esporte, mas não que a musculação não seja. A gente tem muitos casos em que a musculação é um acessório para outros esportes. Também pode ser assim com o crossfit se o atleta quiser trabalhar um músculo mais isolado, mais específico”, comenta Coelho.

Patrícia Madeira, CEO da Runner Licenciamentos, considera o movimento sadio. “A gente brinca que toda academia que abre não é um concorrente. Ele possibilita pessoas que não frequentavam academias a irem para esse universo”, afirma ela.

“Quanto mais academias, estúdios e boxes de crossfit abrirem, mais movimentado vai ser o mercado. As pessoas tomam gosto de fazer atividade física e é isso que interessa para nós”, conta Patrícia, que já afirmou que o crossfit não tira alunos das academias de musculação.

Para Aline Alves, gerente da rede Bio Ritmo, tudo depende de como as academias se reinventam. “A gente tem um público muito fiel às modalidades tradicionais de academia, então não sei se chega a concorrer diretamente”, afirma Aline.

“O treinamento funcional é o que mais atende as capacidades físicas, por isso a procura grande. Para quem não gosta da musculação tradicional ele é uma ótima saída”, finalizou.

Calendário

Encontre um evento perto de você!

Compartilhe por email!